O VEGN, primeiro fundo de investimentos vegano, completa um ano na Nyse com resultados positivos, e mostra que investimento ético é rentável.

História e resultados

Em setembro de 2019 a Beyond Investing lançou o primeiro Exchange Traded Fund vegano e carregado de consciência climática na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse).

Em princípio, era vista como uma opção de investimento viável para veganos e simpatizantes da causa. No entanto, o desempenho do VEGN em seus primeiros meses mostrou que investir em um mundo livre de crueldade, saudável e limpo pode ser uma escolha financeira rentável para muitos investidores.

Desde seu lançamento, o VEGN obteve um retorno total de 27,69% sobre o preço de mercado contra 19,75% do índice S&P 500 até o final de agosto de 2020. O desempenho foi particularmente forte em agosto, quando o ETF superou o índice S&P 500 em 2,12% na mesma base.

Se desviando dos desafios

Certamente, 2020 foi um ano de tirar o fôlego. Entre as queimadas que destruíram reservas e poluíram o ar no Brasil, na Austrália, nos EUA e os mercados úmidos que cultivaram a COVID-19, a ética, o clima e a sustentabilidade foram colocados em primeiro plano na consciência dos investidores.

Primeiramente, a Beyond Investing sempre excluiu empresas envolvidas em práticas antiéticas em relação aos animais, às pessoas e ao planeta. Para tal, mantém um rigoroso processo de triagem que elimina a exploração animal, o trabalho infantil, a alta emissão de carbono, a queima ou extração de combustíveis fósseis, plásticos descartáveis ​​e qualquer outra atividade considerada de impacto negativo para o meio ambiente.

Contudo, a resposta global à pandemia mostrou ser possível modificar comportamentos e hábitos de consumo. Ao mesmo tempo, a demanda por carne e laticínios caiu e as vendas de produtos à base de plantas têm crescido muito.

Nesse contexto, as regras de triagem impostas pelo Índice de Clima Vegano Beyond Investing desviaram o portfólio do VEGN de ​​alguns dos setores mais afetados pelo COVID-19.

Jovem, vegano e com bons resultados

Em síntese, os resultados mostram que evitar a exploração animal resultou em 31% do desempenho superior; eliminar empresas de produção, queima e financiamento de combustível fóssil e outros danos ambientais rendeu 49%; e os 19% restantes de evitar empresas envolvidas na fabricação de armas.

Sua seleção proativa de substitutos para empresas de média capitalização usando critérios éticos rígidos também pode orientar o portfólio para as indústrias do futuro.

Anteriormente, os veganos e demais interessados ​​em lucrar com o mercado de ações não tinham escolha. Desse modo, acabavam por lucrar com os danos aos animais ou ao meio ambiente através de suas opções de investimento.

O VEGN veio mostrar que defensores dos animais e ambientalistas têm uma opção de investimento em ações. Sobretudo, ética, livre de crueldade e combustível fóssil, também é tão ou mais rentável que outros fundos ESG.

Leia também: New Crop Capital lança fundo de US$ 100 milhões para investir em proteínas alternativas, Super Vegan recebe investimento para acelerar o processo de expansão e lança loja online e Investimento em startups veganas cresce.



por Nadia Ferreira Gonçalves em 23 de setembro