De acordo com um novo estudo, o mercado global de queijo vegano pode chegar a US$ 2,5 bilhões até o final de 2020.

A empresa de pesquisa, Transparency Market Research, publicou o estudo que prevê o crescimento. Os queijos veganos são cada vez mais populares à medida que consumidores e produtores se afastam dos laticínios tradicionais. 

De acordo com o relatório, a concorrência no mercado é alta. Em resposta da alta concorrência, um número crescente de produtores convencionais estão expandindo sua capacidade para atender ao aumento da demanda. O estudo ainda prevê um aumento para US$ 7 bilhões até o final de 2030.

“Mudanças climáticas, preocupações crescentes relacionadas à crueldade contra os animais e saúde são alguns dos principais fatores que estão impulsionando o movimento vegano em todo o mundo. No momento, o veganismo está no auge e a tendência provavelmente continuará no futuro próximo”, observa o estudo.

Atualmente os Estamos Unidos, Europa e Reino Unido detêm a maioria do mercado de queijos veganos, enquanto a América Latina e a Ásia detêm a menor parte do mercado. Mas, de acordo com a Transparency Market Research, a popularidade do queijo na região do Pacífico Asiático está crescendo. 

Aqui no Brasil marcas como Basi.co, Nomoo estão crescendo exponencialmente e está surgindo cada vez mais players no mercado. Recentemente a Violife, marca de queijos veganos premiada mundialmente, lançou em agosto sete tipos de queijo de origem 100% vegetal no Brasil. A empresa, de origem grega e com forte atuação no mercado americano, europeu e outros mercados globais tem agora como objetivo atender uma demanda em constante crescimento no Brasil. 

Consumidores exigem queijo vegano

O consumo de laticínios acarreta riscos à saúde. A pesquisa sugere que o alto teor de gordura saturada pode aumentar a probabilidade de diabetes, doenças cardíacas e Alzheimer. Vários estudos também indicam que o queijo é particularmente difícil de abandonar devido às suas qualidades aditivas.

Cada vez mais os clientes estão se voltando para marcas de queijo vegano – como New Roots, Bute Island, Miyoko’s, Violife e Daiya – como uma escolha sustentável e preocupada com a saúde.

No geral, o crescimento do mercado de alimentos veganos impactou o consumo e a produção de laticínios. Muitas das principais empresas de laticínios estão explorando opções veganas e até lançando suas próprias linhas de leite vegetal e queijo. Inclusive, em 2017 a tradicional Elmhurst trocou o leite de vaca por leites vegetais. 

“Enquanto a tendência vegana continua a se espalhar como fogo em diferentes regiões do mundo, o mercado de queijo vegano deve crescer a um ritmo impressionante”, confirmou a Transparency Market Research.

“Vários fatores devem impulsionar o crescimento do mercado de queijo vegano, incluindo a crescente conscientização do consumidor quanto à intolerância à lactose e a crescente adoção de produtos de queijo não lácteo em alimentos assados ​​e lanches”, acrescentou a empresa.

Saiba mais sobre mercado global de queijo vegano aqui.



por Redação Vegan Business em 28 de agosto