Será possível produzir mel vegano sem usar abelhas? Foi pensando nisso que a MeliBio foi fundada.

A empresa tem uma declaração de “porque” bem interessante, conforme descrito em seu site:

O mel é um dos superingredientes mais poderosos que já existiram na natureza. Encontrado nas pirâmides egípcias, com milhares de anos, era perfeitamente comestível graças à sua incrível composição.

A produção de mel em sua forma atual é prejudicial para as abelhas e seus ecossistemas, especialmente para as 20.000 espécies de abelhas selvagens e nativas que sofrem imensa pressão da apicultura comercial.

Nós precisamos de nossas abelhas nativas para manter os ecossistemas do nosso planeta rico e próspero. E se houver uma maneira de salvar nossas abelhas e produzir mel de verdade?

Acreditamos que o futuro da alimentação e nutrição depende da produção sustentável e escalonável de alimentos que não prejudiquem os animais que precisamos salvar. Imagine, mel de verdade produzido sem abelhas! Imagine o mesmo produto incrível, produzido de forma inovadora e com todos os benefícios adicionais:

Sustentável: Salve as abelhas!

Acessível: mel livre de volatilidade sazonal, disponível para todos os 7,67 bilhões de cidadãos do mundo!

À base de plantas: produzido fora do nosso animal favorito, finalmente vindo apenas de plantas!

Fonte: Site da MeliBio

Sobre o investimento de US$ 850 mil

Essa semana, a MeliBio anunciou o investimento, numa rodada pre-seed de US$ 850 mil, para sua tecnologia baseada em fermentação, permitindo a produção de mel verdadeiro sem abelhas. O investimento vem antes de seu lançamento, previsto para o final deste ano, como também, antes de uma nova implementação comercial planejada para o início de 2022.

O investimento contou com a participação da Big Idea Ventures (BIV), da Joyance Partners, 18.Ventures, Capital V e Sparklabs Cultiv8. Também se juntaram a estes, a Sustainable Food Ventures (SFV), o investidor anjo Courtney Reum e dois escritórios familiares.

Sobre o financiamento, o CEO Darko Mandich, que fundou a MeliBio com Aaron Schaller, PhD em 2020, disse: “Estamos entusiasmados em ter o apoio dos investidores que acreditam no mundo que nossa empresa quer criar. Esse mundo é o lugar onde os alimentos mais saborosos e nutritivos estão ao alcance de todos, mas não à custa da sustentabilidade do nosso planeta.”

Holly Jacobus, parceira de Investimento da Joyance Partners, declarou: “Estamos absolutamente satisfeitos em apoiar a equipe MeliBio na melhoria de nosso ecossistema alimentar. Sua nova tecnologia pode ter um impacto desproporcional não apenas na produção de mel nos Estados Unidos, mas em toda a comunidade ecológica ”.

A startup diz que o financiamento irá alimentar seu crescimento e colocá-la no caminho certo para entregar seu mel vegano por meio de um lançamento até o final de 2021 para atender aos pedidos de B2B que recebeu durante seu programa acelerador BIV. A empresa também está em negociações com potenciais parceiros de vários países e pretende fazer uma estreia comercial no primeiro semestre de 2022.

Sobre a MeliBio e o mel vegano

A MeliBio é uma startup fundada em 2020 por Aaron Schaller, PhD e Darko Mandich. Eles estão desenvolvendo uma tecnologia proprietária baseada em biologia sintética, fermentação de precisão e ciência de plantas que substitui as abelhas como meio para a produção de mel vegano. O mel é molecularmente idêntico ao de abelhas – com os mesmos benefícios para a saúde e sabor delicioso. Contudo, sem abelhas.

Essa startup disruptiva chega num momento propício, pos até então, faltava inovação no mel alternativo, com muitos veganos que evitavam o produto derivado das abelhas por razões éticas e ambientais, contando com substitutos não exatamente iguais, como xaropes ou melaço de cana.

O mercado global de mel em 2020 foi avaliado em US$ 9 bilhões. Hoje, a indústria depende exclusivamente das abelhas e enfrenta muitos problemas relacionados à sustentabilidade e seu impacto negativo na biodiversidade das abelhas. Ao produzir mel vegano com a ajuda da ciência, a MeliBio está revolucionando a indústria para ajudar a salvar 20.000 espécies de abelhas nativas e silvestres essenciais para a flora e a fauna da Terra.

Inovação para um mundo melhor

Especialistas em biodiversidade há anos alertam sobre as consequências do declínio contínuo de polinizadores como as abelhas silvestres. Quase três quartos das safras de alimentos do mundo dependem desses polinizadores e sua redução pode representar sérios problemas para a segurança alimentar global. De acordo com um estudo de julho de 2020, algumas das culturas já vulneráveis ​​à perda de abelhas nos EUA são maçãs, cerejas e mirtilos. 

Como o primeiro player a ser capaz de desenvolver mel sem animais, ético e sustentável, os investidores esperam que a MeliBio traga a ruptura necessária não apenas para a indústria de alimentos, mas também para o uso generalizado do mel em cuidados com a pele, cosméticos e medicamentos.

“O MeliBio tem o potencial real de mudar não apenas a categoria de mel, mas toda a indústria de adoçantes e cuidados com a pele com uma maneira nova e sustentável de criar mel de verdade sem as abelhas. A MeliBio criou o primeiro mel verdadeiramente vegano”, disse Andrew D. Ive, fundador e sócio-gerente geral da BIV.

Leia também: Mel não é vegano: entenda o motivo e os possíveis substitutos



por Nadia Ferreira Gonçalves em 2 de abril