O governo espanhol concedeu à BioTech Foods US$ 6,3 milhões na última semana para o projeto de carne cultivada da empresa – o Ethicameat. O projeto irá investigar os benefícios para a saúde da carne cultivada e determinar se a carne cultivada não possui os mesmos problemas associados à carne animal, como o risco do aumento de colesterol e certos tipos de câncer.

Esta não é a primeira vez que o governo espanhol fornece apoio financeiro para uma empresa de carne de cultura. Durante a primeira semana de 2021, o governo concedeu aos produtores de carne 3D e de cultura, Nova Meat, US$ 307.500.

Similarmente, nos Estados Unidos, a UC Davis recebeu uma doação de US$ 3,5 milhões da National Science Foundation (uma agência governamental) para pesquisar carne cultivada e desenvolver métodos para amplificar as células-tronco com eficiência.

Com a aprovação regulamentar do governo de Cingapura da primeira venda comercial de carne cultivada da Eat JUST, que ocorreu recentemente, agora parece haver uma oportunidade para outras empresas de carne cultivada aumentarem os esforços de P&D para colocar seus produtos no mercado.

Atualmente não está claro quanto tempo levará o projeto da BioTech Foods. No entanto, ao final do projeto, a empresa pretende ter um produto de carne cultivada contendo gorduras saudáveis ​​e ingredientes funcionais que sejam mais saudáveis ​​do que a carne tradicional.

Os impactos ambientais positivos da carne cultivada têm sido frequentemente elogiados por empresas neste espaço, mas os benefícios deste produto para a saúde também podem ser um importante argumento de venda para consumidores hesitantes.

Será que estamos próximos a esta solução?

A BioTech Foods

A BioTech Foods é uma empresa de biotecnologia fundada em 2017. Logo foram publicados os primeiros estudos de viabilidade da iniciativa para desenvolvimento da carne cultivada e os resultados concluíram com a implementação do primeiro projeto espanhol de produção de carne de cultura. Esta iniciativa rapidamente começou a atrair o interesse de muitos grupos e investidores, incluindo o prestigioso CIC Nanogune em San Sebastián e o I&I.

Em 2018 a BioTech Foods criou sua marca, Ethicameat, que será a responsável pela venda dos seus produtos em breve.

A BioTech Foods está entre as poucas iniciativas líderes em todo o mundo que desenvolvem tecnologia para a produção de Carne Cultivada. A produção pecuária industrial apresenta um problema crescente em escala global em termos de bem-estar animal, sustentabilidade ambiental e saúde humana.

A startup desenvolve tecnologia para a produção de carne cultivada, na qual o tecido animal é cultivado em um ambiente controlado usando tecnologia de cultura de células, tornando desnecessária a criação e abate de animais em prol da alimentação humana. Essa abordagem mostra grande potencial de atender a todos os requisitos de uma forma de produção de carne humana que seja ao mesmo tempo sustentável e saudável.

Como resultado, as células multiplicadas tornam-se tecido muscular, que pode ser usado para criar diferentes análogos de carne. A marca de carne em cultura da BioTech Foods é chamada Ethicameat e tudo indica que a marca produzirá produtos de carne em cultura de várias espécies. Os primeiros protótipos da marca até agora incluem almôndegas e uma costeleta de frango.

Desafios para a carne cultivada

Dados no site da marca enfatizam que a cada ano, dezenas de bilhões de animais sencientes são criados em condições industriais para produzir carne. Este empreendimento global é atualmente a principal fonte do planeta de doenças pandêmicas humanas e provavelmente está entre suas maiores concentrações de sofrimento humano infligido.

Restringir essa catástrofe moral em curso deve, portanto, ser uma grande preocupação para as pessoas que pretendem ajudar efetivamente o maior número possível de seres sencientes. Além disso, a pecuária contribui para as mudanças climáticas e faz uso ineficiente de uma parcela significativa de nossos recursos disponíveis.

Enfrentar esse enorme desafio envolveria idealmente uma mudança mundial para um estilo de vida vegetariano, mas é improvável que tal mudança aconteça para todos. Os humanos em todo o mundo atribuem um alto valor à carne em termos de sabor, nutrição e tradição, evidenciado em parte por um claro aumento no consumo global de carne durante o último meio século – uma tendência fortemente associada ao empoderamento econômico dos países em desenvolvimento.

A proposta por trás da carne cultivada é solucionar os problemas gerados pela indústria da carne e reduzir significativamente os seus impactos.

Leia também: A carne do futuro e A carne baseada em células será a próxima tendência?



por Nadia Ferreira Gonçalves em 28 de janeiro