Pekka Katajisto, do HiLIFE (Instituto de Ciências da Vida de Helsinque) da Universidade de Helsinque, e sua equipe no projeto Myocopia desenvolveram uma tecnologia baseada em pesquisa com células-tronco que promete possibilitar a produção em larga escala de carne cultivada, tornando os produtos acessíveis ao mercado.

Os pesquisadores do Myocopia argumentam que a criação de carne em biorreatores depende de fatores de crescimento caros para fazer as células crescerem e se diferenciarem, o que impede as empresas de carne cultivada de produzirem volumes suficientes de carne de forma econômica.

No entanto, após estudar como o metabolismo celular regula a divisão e diferenciação das células-tronco musculares, a equipe do Myocopia encontrou uma abordagem alternativa para alcançar o mesmo comportamento celular sem usar um meio de crescimento. “Acredito que nossa inovação vai revolucionar a indústria emergente como um todo,” afirma Katajisto.

Com a tecnologia desenvolvida pela Myocopia, o metabolismo das células pode ser modificado para que elas se dividam efetivamente e formem carne apenas quando instruídas a fazer isso. O método mantém as células se expandindo por mais tempo do que os métodos atuais, permitindo o controle preciso das células nos biorreatores.

“As células podem ser mantidas se multiplicando de maneira financeiramente viável até que o reator esteja cheio. As células são então orientadas a formar carne – novamente usando seu próprio metabolismo,” explicou Katajisto no anúncio.

Apoio às empresas de carne cultivada

A equipe de pesquisa inicialmente explorou seu conceito inovador com o apoio do financiamento HiLIFE Proof of Concept. Após resultados promissores, eles garantiram um subsídio de dois anos “Research to Business” da Business Finland no final de 2023 para facilitar a comercialização. Esta fase do projeto validará a tecnologia em carnes comercialmente relevantes, como carne bovina, suína e de frango.

Em vez de se tornar um produtor de carne cultivada, a equipe do Myocopia planeja estabelecer uma empresa derivada para licenciar seu know-how. A tecnologia está em processo de patenteamento, e a equipe espera iniciar discussões com fundos de capital de risco até 2025.

Como fornecedora de tecnologia, a Myocopia se concentrará em desenvolver soluções para capacitar e apoiar cerca de 150 empresas que estão desenvolvendo produtos de carne cultivada. Um dos produtos previstos é um ‘coquetel’ especializado projetado para estimular o crescimento celular, que pode ser utilizado integralmente nos biorreatores existentes.

Atualmente, a equipe busca parceiros corporativos para testar seu método inovador de substituição do meio de crescimento. Além disso, convidam investidores interessados em apoiar startups de biotecnologia que estão prestes a revolucionar a produção de alimentos.

“Queremos aumentar nossa compreensão do mercado e aperfeiçoar nossa tecnologia,” comenta Swetha Gopalakrishnan, líder científica do projeto Myocopia, responsável pela observação original que levou à inovação.

Leia também:

ProVeg International obtém status de observador na Convenção sobre Diversidade Biológica

Brevel inaugura planta comercial para proteína de microalga acessível e nutritiva

Kokomodo capta US$ 750 mil para produzir chocolate cultivado em células

Por Vitor Di Renzo em 5 de junho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores