A organização de conscientização alimentar ProVeg International conquistou o status de observador na Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), um tratado global que visa conservar a biodiversidade e promover o uso sustentável dos recursos biológicos. Com essa conquista, a ProVeg agora poderá participar das reuniões da CDB, influenciando potencialmente as políticas alimentares em todo o mundo.

O tratado reconheceu o trabalho da ProVeg no campo da conservação e biodiversidade, incluindo a promoção de soluções baseadas em evidências para tornar os sistemas agroalimentares mais saudáveis e menos intensivos em recursos. Por exemplo, a ProVeg apoia agricultores no cultivo de culturas ricas em proteínas por meio do Projeto Smart Protein, financiado pela UE, e aumenta a disponibilidade de alimentos plant-based nas escolas através do programa School Plates.

A ProVeg já havia obtido status de observador na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e no Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Além disso, a organização é acreditada na Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA) e possui status consultivo especial com o Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC).

“Alimentos plant-based desempenham um papel vital”

O reconhecimento da ProVeg pela Convenção sobre Diversidade Biológica destaca a crescente conscientização sobre o impacto do sistema alimentar na biodiversidade. Um relatório publicado pela GFI Europe no ano passado constatou que a adoção generalizada de proteínas alternativas poderia liberar uma quantidade significativa de terras agrícolas, aumentando a biodiversidade e criando mais habitats para a vida selvagem. Enquanto isso, outra publicação da Green Alliance concluiu que a redução do consumo de carne e laticínios em 45% aumentaria as populações de vida selvagem no Reino Unido em mais de 80% até 2050.

Um relatório recente do Banco Mundial revelou que a agricultura convencional contribui para a degradação do solo, desmatamento, perda de biodiversidade, acidificação dos oceanos e poluição. Além disso, um estudo da PETA publicado em abril indica que a agricultura vegana orgânica poderia reduzir o uso de terras de 14 milhões de hectares para 5 milhões de hectares, protegendo a biodiversidade e reduzindo as emissões.

“Esta é uma conquista fantástica, permitindo que a ProVeg destaque como as escolhas alimentares são uma das maneiras mais eficazes de proteger a incrível biodiversidade da Terra,” disse Lana Weidgenant, Gerente Sênior de Políticas da ONU na ProVeg. “Os alimentos plant-based desempenham um papel vital na redução da destruição causada pela agricultura animal intensiva em nossas florestas, rios e mares. Nosso novo status de observador nas reuniões da Convenção sobre Diversidade Biológica nos permitirá destacar isso com o objetivo de influenciar as políticas alimentares em todo o mundo.”

Leia também:

Brevel inaugura planta comercial para proteína de microalga acessível e nutritiva

Kokomodo capta US$ 750 mil para produzir chocolate cultivado em células

JUST Egg lança nova fórmula com sabor e textura aprimorados

Por Vitor Di Renzo em 5 de junho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores