A Starbucks é considerada a maior cadeia de cafeterias do mundo e chegou com uma novidade para os estadunidenses: está testando o leite da marca Perfect Day em dois locais de Seattle por tempo limitado. 

A marca de laticínios Perfect Day levantou US$ 350 milhões nesse ano, em uma rodada co-liderada pela Temasek e a Canada Pension Plan Investment Board (CPP Investments), que também teve a participação da Horizons Ventures, Bob Iger (presidente executivo e do conselho da The Walt Disney Company) e a SK Inc. 

A empresa é considerada um unicórnio (startups com valuation de mais de US$ 1 bilhão). 

O co-fundador da Perfect Day, Perumal Gandhi, falou em uma comunicação na época: 

“Começamos no negócio de ingredientes porque as empresas alimentícias, grandes e pequenas, estavam ansiosas para trabalhar com os ingredientes que escalamos com sucesso”. 

“Hoje, algo análogo está acontecendo no lado da tecnologia. Existem inovadores em todo o mundo com ideias e ambições semelhantes à nossa proteína do leite livre de origem animal, mas precisamos de ajuda para chegar lá. Estamos construindo modelos de negócios para poder compartilhar nossas capacidades demonstradas de uma forma que maximize as vantagens para todos, mas garanta que a Perfect Day permaneça na vanguarda de nossa nova indústria”. 

Como é produzido o leite da marca Perfect Day? 

Se você tem curiosidade sobre o processo de produção do leite da marca Perfect Day, iremos explicar. 

A empresa coletou genes de vacas em bancos de dados científicos gratuitos, depois, selecionaram a microflora de fungo para desenvolver a proteína, dando o esquema genético da proteína do soro de leite. 

Após isso, essa microflora é cultivada nos tanques de fermentação, sendo produzida a proteína do leite. 

Essa proteína pode ser utilizada para fabricar qualquer laticínio, mas como é molecularmente idêntica ao produto de origem animal, não é recomendada para os alérgicos ou quem tem intolerância a lactose. 

“Fortalecer o sistema alimentar não é uma tarefa fácil e não podemos fazer isso sozinhos. Estamos fazendo parceria com marcas de varejo e fabricantes de serviços de alimentação para liderar a demanda de produtos lácteos cremosos, deliciosos e sustentáveis. Feitos completamente livre de animais”, contou a empresa. 

A Perfect Day já tem parceria com as seguintes marcas: Nick’s, Graeter’s, Brave Robot e Modern Kitchen, e agora está entrando no mercado do café com a Starbucks. 

Starbucks e veganismo 

Se você gosta de um bom cafezinho, a PETA elaborou um guia para pedir bebidas veganas no Starbucks

A Instituição afirmou no texto: “Embora seja ótimo que a Starbucks tenha expandido suas opções de leite vegano, os clientes não deveriam ter que pagar a mais quando fazem uma escolha que é melhor para os animais, o meio ambiente e sua saúde”.

Embora essas notícias sejam estrangeiras, aqui no Brasil é possível deixar a bebida vegana ao pedir para trocar o leite de origem animal pelo vegetal ou retirar o chantilly da bebida. Além disso, também existem produtos que não vão leite, como sucos e chás, que podem ser uma opção. 

Exemplos de bebidas veganas são: suco detox, pink lemonade, chai latte, chá quente, chá gelado, chá verde latte, cold brew, entre outros. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Marca de laticínios alternativos Perfect Day levanta US$ 350 milhões 

Leonardo DiCaprio ingressa em Conselho Consultivo do Perfect Day 

Novidades veganas da Starbucks

*Imagem de capa: Unsplash

Por Amanda Stucchi em 17 de novembro