A Conví Foods foi a 4ª startup brasileira a captar investimento pela Vegan Business, plataforma nacional e pioneira em equity crowdfunding para o mercado plant-based. A rodada aberta e concluída nesta quinta-feira (23) levantou R$ 1,5 milhão e foi a primeira a contar com aporte internacional do fundo britânico Veg Capital.

Anteriormente conhecida como alimentos Convitta, a Conví Foods segue as diretrizes de desenvolvimento sustentável estabelecidas pela ONU, sendo pioneira em produzir alimentos plant-based saudáveis e sem soja no mercado brasileiro.

Além de atrair R$ 1 milhão do fundo de capital de risco britânico, a Conví Foods ainda recebeu mais R$ 500 mil de 36 investidores nacionais, totalizando R$ 1,5 milhão. O tícket médio foi de R$ 13.800. 

“Nosso plano principal é aumentar capacidade produtiva para demandas já existentes, além de investimento em equipe e marketing para que a Conví Foods possa chegar cada vez a mais locais”, explicou a CEO e fundadora da marca, Bárbara Andrade.

Hambúrguer da Conví Foods
Imagem: Divulgação Conví Foods

Elo para startups e investidores

A líder da empresa tem 7 anos de experiência em desenvolvimento de alimentos e ressalta a importância da comunidade de investidores criada pelo Vegan Business para mudar o patamar da Conví Foods no mercado. Atualmente, são 5 produtos no varejo: hambúrguer de grão-de-bico, hambúrguer de shitake e shimeji, hambúrguer defumado com castanhas, almôndegas de shimeji (shimejitos) e estrelitos (pão de queijo infantil).

“O Vegan Business faz um elo entre as startups, os investidores e os consumidores. Esse elo é muito importante para fomentar o setor plant-based, incentivando o consumo de produtos mais conscientes, que geram maior sustentabilidade para nosso planeta e bem-estar para todos, acrescentou Bárbara.

Não é à toa que a foodtech também chamou atenção internacional.  A Conví Foods faturou próximo de R$ 495 mil no ano passado e no último mês teve recorde de faturamento (R$ 194 mil). Neste mês de junho a projeção de faturamento é de R$ 260 mil por conta do fechamento de novos contratos. 

Pão de beijo da Conví Foods
Imagem: Divulgação Conví Foods

Comunidade fortalecida

“Fazemos análises criteriosas antes de apresentar as startups com potencial de investimento dentro do Vegan Business. Hoje, nossa comunidade já passa dos 3.200 cadastrados e sempre buscamos marcas alinhadas com propósito de uma prática saudável e sustentável seja qual for o segmento”, lembrou o Crica Wolthers, co-fundador do Vegan Business.

A proposta de trazer um novo olhar para o mercado de investimentos liderada pelo Vegan Business está gerando seus primeiros frutos. Em apenas quatro rodadas (desde janeiro de 2022), startups brasileiras já captaram R$ 3 milhões via plataforma.

“Criamos uma estratégia sólida e organizada para oferecer às empresas além da possibilidade de receber investimento, uma consultoria e visibilidade dentro do mercado plant-based que está em constante expansão. As primeiras quatro rodadas e os valores levantados mostram que a comunidade dentro do Vegan Business está engajada na missão de fortalecer companhias com valores sustentáveis”, acrescentou Nádia Gonçalves, co-fundadora do Vegan Business.

Hambúrguer da Conví Foods
Imagem: Divulgação Conví Foods

Projeção de crescimento 

A projeção de crescimento da Conví Foods está na casa dos R$ 30 milhões até 2024 e vai de encontro a expectativa de um estudo recente divulgado pelo Euromonitor. A empresa de pesquisa de mercado britânica prevê que a receita anual de produtos saudáveis no Brasil alcance R$ 127 bilhões em 2025.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

3 empresas veganas que captaram investimento pela Vegan Business

4 Vantagens de investir em startups via Vegan Business

7 curiosidades sobre o Vegan Business

*Imagem de capa: Divulgação Conví Foods 



por Amanda Stucchi em 23 de junho