A marca chilena The Live Green Co. levantou US$ 7 milhões em uma rodada pré-Série A para tornar os alimentos mais sustentáveis utilizando ingredientes vegetais. 

“Agora é hora de levar as coisas para o próximo nível e remover não apenas o animal de nossa comida, mas também os ingredientes sintéticos e ultraprocessados, métodos de produção insustentáveis ​​e embalagens plásticas”, afirmou a empresa em uma página que explica o que é a revolução das plantas 2.0, afirmando que na última década o foco era retirar o animal da alimentação e tornar o sistema alimentar mais sustentável. 

Uma ferramenta que a empresa utilizará para atingir seu objetivo é a inteligência artificial Charaka. A tecnologia armazena todos os conhecimentos de plantas e cria um banco de dados com alternativas plant-based para aditivos animais, sintéticos e ultraprocessados. 

Os participantes da rodada e os planos para o futuro

Quem liderou a rodada da marca foi a empresa de venture capital DRADS Capital, sendo que os demais participantes foram: Draco Capital, Fondo Alerce Venture Capital, NOA Mx, FEN Chile, Flambeau Argentina, Goshen Canada, e investidores anjos selecionados dos Estados Unidos.

O valor será destinado para a área de tecnologia, reforçar as proteções de IP, contratar mais equipe, investir em parcerias e operações, além de estabelecer uma sede nos Estados Unidos. 

Ademais, planejam realizar uma Série A em até 15 meses, bem como criar mais fórmulas de alimentos usando a inteligência artificial, como leites, frangos, lanches e suplementos alternativos. 

Sasikanth Chemalamudi, co-fundador e COO do The Live Green Co., falou em um comunicado

“No geral, identificamos mais de 30 linhas de produtos e mais de 150 aditivos que são mais consumidos em todo o mundo e estamos atualmente focados em criar produtos mais saborosos, saudáveis ​​e alternativas mais sustentáveis ​​utilizando plantas com o Charaka”. 

Sorvetes do The Live Green Company

Imagem: Reprodução The Live Green Company / via Facebook @thelivegreenco

Sobre a marca de alimentos mais sustentáveis 

Priyanka e Sasikanth fundaram a empresa após sua família adotar a sobrinha Naina, pois ao buscar alimentos no supermercado perceberam que não havia muitas opções nutritivas e clean label para uma bebê de seis meses. 

Naquele momento, Priyanka trabalhava na Target e tinha acesso aos dados, através de seu cargo elevado. Ela percebeu uma necessidade no mercado por produtos totalmente sustentáveis. Segundo a afirmação do comunicado, muitas marcas trabalhavam com tendências de curto prazo, mas não buscavam soluções de longo prazo. 

Pensando nisso, criaram a marca The Live Green Co., desenvolvendo uma linha de 5 produtos em menos de 20 meses. A marca afirma que cresceu 10 vezes desde a rodada seed em 2020. 

Priyanka adicionou no comunicado: 

“No Live Green, estamos usando tecnologia proprietária para trazer uma mudança do paradigma ‘Baseado em planta’ para ‘somente planta’. E estamos adotando uma abordagem colaborativa de B2B para nosso modelo de negócios, para sermos agentes de mudança em grande escala e acelerar a transição do mundo para uma alimentação saudável e sustentável! Bem-vindo ao Plant Revolution 2.0”. 

Até o momento a empresa desenvolveu os seguintes produtos:  hambúrgueres, misturas para bolo, sorvetes e barras de proteínas. 

A empresa também faz outras ações para tornar os alimentos mais sustentáveis, como adquirir seus ingredientes de fornecedores locais, produzindo os produtos perto de onde vendem, tendo como princípios o comércio justo e a economia circular. Por último, suas embalagens também são compostáveis. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Startup que combate o desperdício de alimentos levanta US$ 250 milhões

Alimentação sustentável: como aplicar esse conceito na sua vida?

24 alimentos veganos: nutritivos, saborosos e econômicos

*Imagem de capa: Reprodução The Live Green Company / via Facebook @thelivegreenco



por Amanda Stucchi em 6 de janeiro