De hambúrgueres sem carne a rolinhos de salsicha, os alimentos veganos estão crescendo em popularidade ao redor do mundo.

No último ano, um em cada seis produtos alimentares lançados no Reino Unido era vegano ou isento de ingredientes animais. Desse modo, uma variedade de novas ofertas e o envolvimento de grandes marcas significou mais opções para os consumidores e o surgimento de fast food vegano.

Tudo indica que grandes as grandes redes de fast food, como KFC, Dunkin e Burger King estão aderindo à tendência  e dando uma nova cara ao fast food. O veganismo e o vegetarianismo estão oferecendo uma imagem “saudável” às cadeias de fast food, pois adicionam produtos alternativos à carne, à base de plantas em seu cardápio.

De antemão, o Burger King já apresentou o  Impossible  Whopper, um hambúrguer à base de plantas, semelhante ao sanduíche clássico da empresa, sucesso desde abril de 2019 nos EUA e que agora chega às lojas da rede no Brasil. 

Fundamentalmente, essas carnes veganas de fast food não são voltadas apenas para veganos e vegetarianos, mas também para os amantes de carne, que ainda constituem a grande maioria da população em todo o mundo. O Impossible Whopper, por exemplo, é comercializado não como um petisco para salvar o planeta, mas como uma maneira mais saudável de desfrutar do mesmo sabor carnudo a que seus clientes estão acostumados.

Simultaneamente, a Dunkin, famosa por suas rosquinhas açucaradas, introduziu um sanduíche de salsicha à base de plantas, feito pela Beyond Meat.  E a KFC entrou na tendência lançando frango frito vegano, também fabricado pela Beyond Meat. De imediato, os investidores aplaudiram a ação, e as ações da Beyond Meat de capital aberto se elevaram consideravelmente após cada anúncio.

Por que os produtos alternativos à carne e à base de plantas estão repentinamente no menu de fast food? Por que agora? O que mudou?

Porque eles finalmente conseguiram retirar a carne dos hambúrgueres e dos sanduíches, enquanto mantêm o sabor da carne, simples assim. É esse o principal fator que ajuda na disseminação  do vegetarianismo para além dos muros da militância extrema.

Segundo a Numerator, uma empresa de inteligência de mercado que acompanha os padrões de compra de 450.000 consumidores americanos, interesse em melhorar a saúde e curiosidade  são os principais motivos que impulsionam o consumo de produtos alimentícios à base de plantas. Isso, considerando que veganos e vegetarianos tem motivações que vão além, e incluem preocupações éticas e ambientais.

O fato é que, independentemente do motivo pelo qual as pessoas buscam por alternativas à carne à base de plantas, os consumidores “amam o sabor, a saúde e o fato de que esses produtos não envolvem danos aos animais e são melhores para o meio ambiente”

Embora o veganismo esteja se espalhando e se expandindo, em muitas regiões ele ainda se restringe às novas gerações, especialmente jovens de alta renda e alta escolaridade, de etnias variadas que vivem em áreas urbanas. No entanto, de acordo com os resultados encontrados pela Numerator, as alternativas de carne à base de plantas já estão alcançando um amplo público. No Brasil, o mercado de carne vegana também está crescendo.

Logo, essa tendência pode acelerar à medida que as cadeias de fast food trazem alternativas à carne, com produtos saborosos e acessíveis à base de vegetais, e o veganismo se torna uma verdadeira moda. O crescente interesse no veganismo faz com que as redes de fast food logo mergulhem nessa tendência, os fatores que influenciam as escolhas dos consumidores incluem maior conscientização sobre questões relacionadas à saúde, bem como o impacto ambiental causado pelo alto consumo de carnes, ovos e laticínios.

Os estilos de vida veganos e vegetarianos estão se tornando mais populares, portanto, está na hora de as redes de fast food aderirem a essa tendência e preencherem as lacunas alimentares para esse público. 

De acordo com dados da Sprout Social, uma plataforma de gerenciamento e análise de mídia social para empresas,  acha que está na hora de as redes de fast food seguirem a tendência vegana e vegetariana. 

Isso é evidente nas conversas nas mídias sociais. “Ao analisar as conversas sobre a palavra-chave” vegan” no Twitter, encontramos um aumento de 136% no volume entre 2014 e 2019″, diz Kannenberg, diretor criativo de marca e história. “Com mais de 11 milhões de menções no Twitter da palavra” vegan” apenas em 2019, a indústria de fast food parece ter encontrado sua próxima fronteira e está pronta para atender aos favoritos de fast food que qualquer pessoa pode comer.”

Enquanto o veganismo e o vegetarianismo estão mudando as principais cadeias de fast food, o fast food também contribui com a popularização dessa tendência, ajudando a espalhar o veganismo e o vegetarianismo para as grandes massas.

Em suma, as grandes cadeias de fast food mais queridas em todo o mundo precisavam de opções vegetarianas e veganas. E este é apenas o começo dessa tendência, já que alguns dos maiores players de fast food ainda não introduziram itens de menu à base de plantas. Mas, assim que o fizerem, motivarão outras pessoas do setor a se unirem ao movimento e atender a essa mudança demandada pelos consumidores.

Agora, finalmente, capaz de produzir saborosas e acessíveis alternativas sem carne que, para muitos, são indistinguíveis de suas contrapartes carnudas, a indústria em rápido crescimento parece pronta para a verdadeira revolução. E ao fazê-lo, poderá iniciar um rápido declínio na contribuição da carne para a crise climática, impulsionada não apenas por uma minoria global de veganos e vegetarianos, como também, por milhões de comedores de carne que estão aderindo à  tendência.

Gostou deste artigo sobre fast food vegano e vegetariano? Saiba também tudo sobre a crescente demanda por ovo vegano.



por Nadia Ferreira Gonçalvez em 7 de setembro