Será que só de quilos de frango e de batata doce, e dúzias de ovos se faz um atleta? No esporte é comum relacionarmos os atletas (ou até qualquer pessoa com um corpo mais “academia”) com derivados animais. Não é por menos, diversas revistas, sites e youtubers comentam que esses profissionais vivem a base de uma dieta animal, e só assim conseguem manter seus corpos. Porém se existe atletas veganos, isso deve ser um mito, certo?

Certíssimo. Estamos acostumados a ver dietas a base de muita proteína, logo associamos a carnes, ovos e leites. Porém já sabemos que um vegano não têm baixa ingestão de proteína, até porque a dieta vegana já teve diversos benefícios comprovados cientificamente.  Os atletas veganos seguem uma dieta rica em proteínas vegetais, e conseguem grandes resultados com isso. Isso fisicamente, nos esportes, e claro, com patrocínios de diversas marcas.

Atletas veganos no fisiculturismo

Fefeu ou Felipe Garcia é um fisiculturista que mostra que o veganismo é uma tendência forte até entre os atletas. Fefeu é um atleta de alta performance que conquistou no II Campeonato de Fitness e Musculação de Mairinque, no interior de São Paulo.

“Culturalmente, somos levados a acreditar que sem carne, ovos, leite e derivados não é possível ganhar massa”, diz Fefeu. “Mas, pelo exemplo, nós provamos que isso é um mito”. No caso de Fefeu, aos 20 anos ele parou de consumir animais, e aproximadamente em 2013 passou para a transição do veganismo, segundo entrevista para Sociedade Vegetariana Brasileira.

Em 2018, o atleta vegano ganhou primeiro lugar na competição e disse:

“Apenas deixo meu agradecimento especial a eles: os animais! Sem o veganismo nada disso seria possível! Amo ser vegano e amo ser um atleta vegano que compete com diversos atletas onívoros, ovolactovegetarianos e outros veganos. Por isso meu respeito máximo à ideologia que mudou minha vida e mudará constantemente até o fim dela. Obrigado veganismo!”  – disse Fefeu.

Na mesma competição que participou, o baiano Paulo Victor Guimarães – também vegano -, conhecido como Paru, conquistou o 4º lugar na competição.

O patrocínio deles

Tanto Fefeu quanto Paru, receberam patrocínio de uma marca vegana, VeganWay. A marca vende suplementos veganos desde 2014,  quando lançou a primeira proteína de ervilha no mercado nacional.

Hoje a marca possui três tipos de proteínas vegetais: proteína de arroz integral orgânico, proteína de ervilha e mix protéico com amaranto e quinoa, BCAA com 12 partes Leucina, Creatina 100% monohidratada, Termogênico rico em Cafeína e Levedura Nutricional.

A marca WVegan também investiu no patrocínio de atletas veganos. No final do ano de 2018, a marca começou a patrocinar o Felipe Garcia.

Além dele, a marca também tem no time WVegan o Antonio Cesar, lutador de MMA, Personal Fight e vegetariano; e o youtuber Flávio Giusti – um dos youtubers brasileiros com mais inscritos no canal – do canal Vegetarirango

E mais marcas podem participar desse movimento. Algumas marcas de suplementos estão surgindo no mercado, e outras estão se adaptando com versões veganas. Nossos atletas veganos precisam desse apoio e desse incentivo. Com o veganismo virando uma tendência é fácil imaginar que mais e mais veganos se tornaram atletas. Dessa forma, mais pessoas vão mostrar para o mundo que não é necessário viver a base de produtos animais para alcançar seus objetivos.

O mercado de suplementos

Até 2018 o mercado de suplementos movimentou cerca de R$ 1,5 bilhão, e esse número continua em uma crescente, mesmo diante da queda do poder de compra do brasileiro.

“Nossa última pesquisa, de 2016, constatou que 50% da população ativa brasileira já consumiu algum tipo de suplemento. Como o nível de informação está crescendo entre médicos e nutricionistas, a procura deve aumentar.” disse Marcelo Bella, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri).

Entre os veganos, o consumo de suplementos também é bastante aceito. Embora em uma dieta vegana não seja necessário suplementar nenhum tipo de vitamina, minerais ou proteínas, alguns veganos optam por essas opções pela facilidade do dia a dia.

O veganismo está ganhando cada vez mais espaço. O veganismo no Brasil já mostra resultados incríveis. De suplementos alimentares até vestuários, estamos falando 14% da população buscando alternativas veganas a quase tudo que envolve a vida delas. O mercado de suplementos veganos é uma oportunidade para quem pensa em investir agora.

E os atletas veganos estão disponíveis para contratos e patrocínios.

Para os atletas veganos é um incentivo ao esporte que eles mais amam, para as marcas é uma oportunidade de mostrar mais visibilidade do seu negócio. Ambos os lados saem ganhando, e o veganismo vai cada vez mais longe.

Leia também Empreendedorismo vegano: 6 motivos para você apostar e
13 maneiras de transitar para o veganismo



por Lari Chinaglia em 4 de março