O mercado de comida japonesa no Brasil é gigantesco. Resultados estimados da Francal Feiras apontam para a existência de pelo menos 3.000 estabelecimentos de comida oriental só na Grande São Paulo.

O volume médio de clientes atendidos por dia nestes estabelecimentos e o tíquete médio de R$80 por pessoa projetam um faturamento total de R$13,4 bilhões por ano, somente na região. Em nível nacional, a estimativa é que a gastronomia asiática movimente em torno de R$19 bilhões anuais.

Apesar da diversidade da comida asiática, o sushi ainda é o ícone e o carro chefe desse mercado. Trata-se de um mercado bastante atraente para se investir, ou mesmo expandir a variação de produtos com a inclusão de opções veganas.

Muitos pensam que o sushi é um dos alimentos que não podem ser veganos, pois o peixe é algo bastante difícil de imitar. No entanto, é importante que empresários do ramo e consumidores saibam que existe um mundo inteiro de sushi vegano, feito sem peixes!

E, além disso, é tão delicioso quanto o sushi tradicional. 

Vamos apresentá-lo ao incrível mundo do sushi vegano que certamente vai surpreender você. Mas primeiro, para entender verdadeiramente a arte e a paixão de fazer sushi, vamos ver uma breve história dessa iguaria…

O nascimento do sushi

A história do sushi é um conto interessante da evolução de um prato simples. O que viria a ser sushi foi mencionado pela primeira vez na China no século II dC e originalmente, o sushi surgiu como uma maneira para preservação dos alimentos. O peixe foi colocado no arroz e fermentado, o que permitiu que um indivíduo mantivesse o peixe comestível por algum tempo. O arroz foi jogado fora e o peixe foi comido quando necessário ou desejado.

Este método se espalhou por toda a China e no século VII, havia chegado ao Japão, onde os frutos do mar são historicamente itens básicos da alimentação. Os japoneses, no entanto, levaram o conceito adiante e começaram a comer o arroz com o peixe. À princípio, o prato foi preparado da mesma maneira. No entanto, no início do século XVII, Matsumoto Yoshiichi, da cidade de Edo (agora Tóquio), começou a temperar o arroz com vinagre de vinho de arroz enquanto fazia seu ‘sushi’ para a venda. Isso permitiu que o prato fosse comido imediatamente, em vez de esperar os meses que normalmente levariam para preparar o ‘sushi’.

A evolução do sushi

No início do século 19, um homem chamado Hanaya Yohei concebeu uma grande mudança na produção e apresentação de seu sushi. Não embrulhando mais o peixe no arroz, ele colocou um pedaço de peixe fresco em cima de um pedaço de arroz temperado em forma oblonga. Hoje, chamamos esse estilo de ‘nigiri sushi’ (sushi de dedo) ou “edomae sushi” (de Edo, o nome de Tóquio na época) que agora é a maneira comum de comer sushi japonês. Naquela época, o primeiro sushi de ‘fast food’ rapidamente se tornou muito popular. 

Após a Segunda Guerra Mundial, posições mais formais foram adotadas e o sushi mudou de ‘fast food’ para uma verdadeira experiência gastronômica. Logo, se espalhou pelo mundo e, com o advento da promoção de frutos do mar, foi rapidamente adotado pelas culturas ocidentais, e se tornou especial.

Sushi moderno

O sushi, a experiência de jantar artística agora evoluiu para outro nível além dos métodos tradicionais japoneses. As influências ocidentais deram origem a novos estilos de sushi e as muitas criações elaboradas em restaurantes sofisticados. 

Agora, demanda por sushi está apenas aumentando e parece continuar evoluindo. Restaurantes tradicionais de sushi ficam ao lado de restaurantes modernos e ambos são populares por suas próprias razões. A história do sushi ainda está longe de terminar, e a mais nova ‘evolução’ do prato fica por conta do sushi vegano.

O sushi vegano

Então, veio a expansão do veganismo, e no Brasil o mercado de alimentação atualmente enxerga na oferta de opções veganas uma incrível oportunidade de crescimento.

Porém, todos sabemos que o sushi é tradicionalmente preparado em uma folha de algas, arroz temperado, legumes e peixe cru (ou cozido), enrolando-o e cortando o rolo em fatias.

Como o peixe geralmente é considerado o principal ingrediente do sushi, muitas pessoas acreditam que é um ingrediente obrigatório. Contudo, existem alguns recheios incríveis para sushi, como abacate, pepino, cogumelos, pimentão, cenoura e muito mais…

Um dos melhores exemplos para ilustrar a capacidade do sushi vegano e conquistar consumidores é o restaurante Sushimar Vegano, localizado na região do Jardins, na capital Paulista. A primeira sushi house 100% vegana do Brasil, aberta em dezembro de 2017, possui cardápio completíssimo e a unidade é um sucesso desde que foi inaugurada.

Um dos melhores exemplos para ilustrar a capacidade do sushi vegano e conquistar consumidores é o restaurante Sushimar Vegano, localizado na região do Jardins, na capital Paulista. A primeira sushi house 100% vegana do Brasil, aberta em dezembro de 2017, possui cardápio completíssimo e a unidade é um sucesso desde que foi inaugurada.

Outro exemplo de sucesso fica por conta do do restaurante Yasai Natural Sushi, com duas unidades localizadas no Rio de Janeiro, que chama a atenção pela criatividade. A Chef, Natalia Luglio, cria todos os pratos com ingredientes exclusivamente vegetais e impressiona em todos os sentidos.

O fato é que a comida evolui e as receitas mudam para atender à crescente demanda por variedade. Um dia, o sushi vegetariano nasceu. Logo depois disso, também se tornou popular e hoje, o mercado de sushi vegano já é uma realidade no Brasil.

Leia também sobre como os supermercados brasileiros estão abrindo espaço para alimentos à base de plantas.



por Nadia Ferreira Gonçalvez em 21 de setembro