Você sabia que 61% dos sul-americanos estão dispostos a experimentar alimentos plant-based? Os resultados foram divulgados pelo Valor Econômico, sendo que a pesquisa foi produzida por Mario Rioda, pesquisador e consultor para governos da América Latina e também diretor do mestrado em Comunicação Política da universidade argentina Austral, encomendada pelo Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA). 

A pesquisa entrevistou mil pessoas das seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador (Brasil), Buenos Aires, Rosário, Córdoba (Argentina) e Montevidéu (Uruguai), no período de dezembro de 2021 e janeiro de 2022. 

Pensando nisso, foram identificados os hábitos alimentares dos participantes: 64,2% onívoras (consumindo vegetais e carnes), 26,5% flexitarianos (reduzem o consumo de carne), 6,5% vegetarianos, 2,0% veganos e 0,8% pescetarianos, aqueles que só consomem peixes e excluem outros tipos de carne. 

Aqui foi indicado que o Brasil tinha o maior número de onívoros (70,5%), já a Argentina tinha maior presença de pessoas que se identificam como flexitarianas (37,3%). Entretanto, uma notícia positiva é que entre as pessoas que ingeriam carne de boi, porco ou caprinos (grupo de bodes, ovelhas e cabras, por exemplo), 26,5% estavam reduzindo seu consumo e 41,5% tentavam diminuí-lo. 

Sul-americanos: alimentos plant-based e de laboratório 

A pesquisa também investigou o quanto os participantes estariam dispostos a experimentar os alimentos plant-based e a carne cultivada, confira aqui: 

Alimentos plant-based 

  • Totalmente provável — 26,9%
  • Provável — 34,4%
  • Improvável — 17,0%
  • Totalmente improvável — 20,1%
  • Não sabe/não respondeu — 1,7%

Logo, podemos afirmar que 61,3% está disposto a experimentar os alimentos plant-based (somando os resultados do totalmente provável e provável). 

Carne cultivada 

  • Totalmente provável — 36,9%
  • Provável — 36,7% 
  • Improvável — 10,3%
  • Totalmente improvável — 11,6%
  • Não sabe/não respondeu — 4,6%

No caso da carne cultivada, 73,6% está disposto a experimentar o alimento.

Focando apenas no Brasil, quase 74% dos brasileiros falaram que estão dispostos a experimentar a carne cultivada, enquanto 70,8% estava disposto a experimentar alimentos plant-based. 

Pesquisa desenvolvida pela Mercy for Animals

Uma pesquisa com essa temática foi desenvolvida pela ONG Mercy for Animals (MFA), encomendada pelo programa EscolhaVeg, ali foi apontado que 8 em cada 10 brasileiros experimentaram produtos plant-based nos seis meses anteriores ao estudo. 

“Em setembro de 2021, o EscolhaVeg contratou a Cint, uma empresa de pesquisa de consumo, para realizar uma pesquisa com 500 brasileiros de todo o país para entender melhor suas percepções, atitudes, intenções e comportamentos atuais em relação às alternativas à base de plantas”, informou a pesquisa. 

Com participantes de todas as regiões do país, sendo a maioria das classes D/E (42,3%) e C (37,9%), foi descoberto que 78% de todos os participantes escolheram a saúde como uma das suas principais motivações para essa mudança alimentar. 

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

Dieta plant-based pode aumentar expectativa de vida em mais de 10 anos

Mercado de alimentos plant-based atingirá 95,52 bilhões até 2029

54% dos jovens estadunidenses se identificam como flexitarianos

*Imagem ilustrativa de capa: Unsplash 



por Amanda Stucchi em 22 de junho