A Fazenda Futuro, marca brasileira de carne vegetal, está presente no Reino Unido há menos de um ano e já recebeu um prêmio no país. A marca venceu a categoria melhor hambúrguer à base de plantas / vegano, com seu produto Futuro Burger 2030 no prêmio The Grocer New Product Awards

A The Grocer é uma mídia independente que aborda o varejo de alimentos e dos produtos de grande consumo (FMCG), os participantes se inscrevem no evento — onde são avaliadas as inovações que chegaram as prateleiras nos últimos 18 meses —  por um painel de jurados que observam critérios pré-estabelecidos. 

Aqui são verificados os seguintes pontos: aparência, aroma, sabor, textura, qualidade de execução, custo-benefício, segmentação e percepção, inovação do produto, inovação da embalagem, além do design e instruções. 

Mais sobre o produto que ganhou o prêmio de melhor hambúrguer à base de plantas 

A The Grocer escreveu em um artigo: “Este é o futuro dos hambúrgueres sem carne, disseram nossos juízes. Uma entrega fantástica de um hambúrguer sem carne com uma ótima textura e sabor”. 

O Futuro Burger 2030 é produzido com uma mistura de soja, ervilha e grão-de-bico. O nome foi inspirado na agenda de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que visa proteger o clima e o meio ambiente, além de acabar com a pobreza e garantir uma vida de paz e prosperidade para todo mundo. 

Além disso, a The Grocer também relatou que para a produção do hambúrguer todos os fornecedores devem ser livres de organismos geneticamente modificados e não praticar o desmatamento. A embalagem do produto também foi elogiada, como um diferencial que torna o alimento atraente nas prateleiras. 

É importante ressaltar que a Fazenda Futuro venceu marcas conhecidas na região, como a Richmond e a Chicago Town. 

Aqui no Brasil, esse alimento foi lançado em janeiro desse ano, sendo que começou a ser desenvolvido em outubro de 2019. 

Investimento, valuation e outros mercados

Nesse mês, a Fazenda Futuro recebeu R$ 300 milhões em um aporte, sendo assim, o valuation da empresa é de R$ 2,2 bilhões

Essa rodada foi liderada pelo wealth management do BTG Pactual, com a participação do Rage Capital, XP, Monashees, Go4it Capital, Turim MFO e a Enfini Ventures.

O valor dessa rodada auxiliará a empresa a entrar nos Estados Unidos com todos os seus produtos. A ideia é oferecer preços mais baixos no país, com a mesma qualidade, afinal, os custos de produção no Brasil são menores que nos Estados Unidos. 

Conforme o Infomoney, a empresa já atua em 25 países e metade do seu faturamento vem dos mercados internacionais.  

Sobre a Fazenda Futuro

A Fazenda Futuro foi fundada por Marcos Leta no ano de 2019. 

Ele já era um empreendedor, tendo criado a marca de sucos Do Bem, vendida para a Ambev em 2016.

Atualmente, o portfólio da empresa de carnes vegetais é vasto: hambúrgueres, almôndega, carne moída, frango, linguiça, atum à base de plantas, entre outros.

No podcast do Zero ao Topo, foi informado que a empresa foi criada para competir com os frigoríficos, não com as empresas que produzem produtos veganos e vegetarianos. 

“Proporcionando a mesma experiência de carne animal, porém sem sofrimento e com muito menos impacto ambiental. Nós acreditamos que inovação, sabor e sustentabilidade coexistem para que novas possibilidades de um consumo consciente sejam reais e deliciosas”, a empresa declarou em sua página

Esse trecho demonstra a missão da empresa, cujo objetivo é mudar o padrão de consumo, trazendo produtos mais sustentáveis, protegendo os animais e oferecendo uma experiência alimentar semelhante para o público-geral.

Gostou dessa notícia? Aproveite e leia também: 

5 marcas brasileiras de hambúrgueres à base de plantas

McDonald’s lança hambúrguer feito de plantas McPlant

Fazenda Futuro lança primeiro atum à base de plantas do Brasil

*Imagem de capa: Divulgação Fazenda Futuro / via Green Queen



por Amanda Stucchi em 24 de novembro