Fundada por um cientista de dados da Impossible Foods e do Google, conheça a Climax Foods, startup que arrecadou US$ 7,5 milhões para desenvolver queijos vegetais.

Oliver Zahn, fundador da Clímax Foods, começou sua carreira profissional estudando as estrelas. Depois de anos na Universidade da Califórnia em Berkeley, se juntou a Pat Brown e Impossible Foods, como o cientista de dados líder da empresa.

Agora, sua startup está usando a ciência de dados para substituir proteínas animais por alternativas vegetais. Com US$ 7,5 milhões em investimentos, a rodada incluiu: At One Ventures, fundada pelo cofundador do GoogleX, Tom Chi, junto com Manta Ray Ventures, S2G Ventures, Valor Siren Ventures, Prelude Ventures, ARTIS Ventures, Index Ventures, Luminous Ventures, Canaccord Genuity Group, Carrot Capital e Global Founders Capital, a Clímax está pronta para assumir o futuro da alimentação.

A infusão de dinheiro será usada para promover a missão principal da empresa: criar produtos à base de plantas que tenham sabor idêntico ou até melhor que o dos produtos de origem animal, a um preço acessível.

Ademais, o capital adicional será usado para construir uma nova instalação de pesquisa e contratar talentos adicionais. Além da pesquisa, a empresa estará focada em colocar seus produtos no mercado o mais rápido possível. Até agora, a empresa experimentou com sucesso várias alternativas de queijo.

Inspiração natural

Para os investidores, o discurso é semelhante ao que Josh Tetrick (Co-Founder & CEO da Eat Just, Inc.) fez na Just. Examine o mundo natural em busca de proteínas que tenham as mesmas ou melhores características do que as que são atualmente feitas por animais e faça produtos com elas. Ao observar o que torna os produtos animais tão deliciosos, a empresa encontrará seus análogos à base de plantas e começará a produzir.

Como acontece com a maioria das coisas que dependem de ciência de dados, a taxonomia é a chave. Portanto, a Climax Foods está construindo algoritmos de aprendizado de máquina que processarão e farão referência cruzada de estruturas moleculares para encontrar o melhor ajuste. A boa notícia é que a empresa está começando com o queijo.

Embora substituir um simples pedaço de queijo possa não parecer um desafio digno para um astrofísico, as empresas já levantaram centenas de milhões para sobressair à grande indústria de laticínios.

Em seu site, a Climax enfatiza que “usando ciência de dados, a Climax Foods pode acelerar o processo de inovação de alimentos à base de plantas por meio de experimentação focada que leva ao rápido desenvolvimento de alternativas lácteas otimizadas para sabor, textura, nutrição e custo.” Isso é animador!

Visão ampla de mercado

Segundo Zahn, apesar de a industrialização ter possibilitado uma explosão de crescimento populacional, hoje, ela traz mais problemas que soluções. O impacto causado nas mudanças climáticas é tão oneroso quanto a combinação de todos os meios de transporte. Além disso, usa mais de um terço da água e terras utilizáveis de todo o planeta. Isso não deve continuar assim.

“…mais de 90% de todos os animais mamíferos e mais de 70% de todas as aves do planeta existem com o único propósito de metabolizar as plantas e serem transformados em alimento.”

Ao acelerar a inovação da ciência alimentar, a Climax Foods é capaz de converter plantas em alimentos igualmente desejáveis. No entanto, sem todo o impacto ambiental envolvido na indústria tradicional.

Equipe das galáxias

Se você está aí indagando a necessidade de outra startup prometendo consertar os problemas da indústria de alimentos, uma breve analisada no currículo da equipe deixa claro o potencial dessa promessa.

Junto a Zahn, estão veteranos nomes da indústria. Zahn já foi chefe de ciência de dados no Google. Mas também, cientista de dados sênior da SpaceX, cientista de dados líder na Impossible Foods e diretor de física cosmológica na UC Berkeley.

Enquanto isso, Caroline Love, que é diretora de operações da empresa, traz em sua bagagem a experiência como executiva de vendas e operações da JUST Foods.

Já o vice-presidente de química e análise da Clímax, Pavel Aronov, é químico com formação em Stanford e anteriormente dirigiu essa área da Impossible Foods.

Um modelo de negócio inovador

Não é a toa que a Clímax Foods arrecadou US$ 7,5 milhões. Recriar produtos tradicionalmente de origem animal com matérias-primas vegetais não é algo rápido e fácil. Certamente, são anos de pesquisa para replicar um hambúrguer ou um simples nugget de frango.

Nesse sentido, a Climax pretende construir uma plataforma que possa ser aplicada a qualquer alimento de origem animal. Usando a computação para prever o resultado das combinações de proteínas, gorduras e carboidratos, quanto a textura, cheiro, valor nutricional e preço.

Enfim, isso possibilitará uma rápida inovação na indústria de alimentos à base de plantas. Ainda, irá ao encontro do consumidor sem que ele precise mudar suas preferências por sabores já conhecidos.

Gostou dessa novidade? Veja mais sobre o mercado de queijos vegetais e conheça marcas disponíveis no mercado brasileiro.



por Nadia Ferreira Gonçalves em 10 de setembro