A demanda agora é por produtos éticos e sustentáveis. A revolução baseada em plantas chegou para ficar e quem não quer ficar para trás precisa aprender tudo sobre o veganismo.

O veganismo está entre as maiores tendências da pós-modernidade. Principalmente, nos últimos vinte anos, o que foi visto pela primeira vez como uma visão extremista pelos direitos dos animais, agora se tornou a grande questão que pode definir os rumos e a saúde do planeta.

É fácil perceber as mudanças acontecendo. Entre em um supermercado e procure por leite vegetal. Dependendo da localização onde estiver, encontrará no mínimo três opções diferentes. De fato, o consumo de alimentos de origem animal está diminuindo em todo o mundo, e o aumento do número de pessoas que se autodenominam veganas é uma constante crescente.

Começar com o básico

Para quem se depara com o nome pelas primeiras vezes, pode parecer uma incógnita. Afinal, a que o termo vegan se refere?

O termo vegan foi cunhado em 1949 por Leslie J. O veganismo, em seu formato moderno, define “um modo de vida que procura excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração e crueldade com animais como alimento, roupas ou qualquer outro propósito”.

Embora a popularidade e o hype em torno desse estilo de vida livre de crueldade seja algo recente, a essência não é nova. Ainda, depois de inúmeros estudos, não se pode mais duvidar que os animais são seres sencientes. Portanto, a essência do veganismo é sobre libertação animal.

Libertação animal

Para quem deseja se aprofundar neste assunto, o livro “Libertação animal” é a pedida. A sua primeira edição foi publicada em 1975, e desde então ele permanece como a melhor referência quando o assunto é a conscientizando sobre a maneira como o ser humano trata os animais.

O autor, Peter Singer, tem o poder de expor a realidade da indústria pecuária e dos testes de laboratório realizados com os animais. Assim, todas as falsas justificativas que embasam essas práticas caem por terra, e novas alternativas são propostas.

A abordagem de Peter Singer também deixa claro que, além de uma questão moral, o uso de animais para fins diversos, tomou proporções quase descontroladas, e se tornou um sério problema social e ambiental. Sem dúvidas, libertação animal apresenta o mais persuasivo apelo à consciência, à justiça e à decência. Portanto, é leitura obrigatória para quem deseja saber tudo sobre o veganismo.

Peter-Singer-Libertação-animal

Compre o livro “Libertação animal” aqui.

Olhar por um outro ângulo

Falar de veganismo no Brasil certamente remete ao nome de Luisa Mel. Com um trabalho internacionalmente reconhecido e admirada por sua incrível atuação junto à causa animal, Luisa Mel, em seu livro de memórias “Como os animais salvaram minha vida” fala como levou sua militância à flor da pele.

Honestamente, ela revisita tudo o que passou até obter o reconhecimento e o respeito que hoje carrega. A luta contra rodeios, vaquejadas, testes em animais, maus-tratos e abandono de bichos é uma missão para a autora.

Mas o livro não é apenas isso. Luisa também fala sobre seu processo de gestação e criação do filho, seu dia-a-dia com o veganismo e como enfrenta as críticas e percalços na defesa dos animais.

Luisa-Mel-Como-os-animais-salvaram-minha-vida

Compre o livro “Como os animais salvaram minha vida” aqui.

Dieta como pilar

Para ir além da defesa dos animais, a crescente popularidade nas dietas à base de plantas atinge desde atletas a profissionais de saúde e celebridades. Sem mencionar o enorme burburinho e debates que documentários, como What The Health e  The Game Changers  causaram sobre o assunto, naturalmente, mais pessoas do que nunca estão curiosas sobre a dieta que exclui todas as carnes e produtos de origem animal.

Por mais controversa que a dieta vegana esteja no espaço de bem-estar, ela existe há muito tempo. No livro “Alimentação sem carne”, o autor, Eric Slywitch, que também é médico e vegetariano, ensina tudo sobre a dieta à base de plantas.

Para quem deseja saber sobre os aspectos nutricionais da alimentação sem carne, o autor discorre detalhadamente sobre importantes nutrientes, como ferro, zinco, cálcio, ômega-3, vitamina D e a B12. Aos poucos, a leitura ajuda a descontruir os mitos relacionados à dieta sem carne.

Eric-Slywitch-Alimentação-sem-carne

Compre o livro “Alimentação sem carne”aqui.

Algumas pessoas transitam facilmente para um estilo de vida vegano, enquanto outras lutam com seu novo compromisso. Há ainda quem opte por se tornar vegetariano primeiro e depois, paulatinamente, ir retirando outros produtos de origem animal.

De fato, saber tudo sobre o veganismo mostrará que não há uma maneira certa ou errada de fazer isso, e uma boa maneira de reafirmar isso é saber o que funcionou para outras pessoas.

Enfim, tudo começa com a questão animal, mas consequentemente, há impactos diretos na saúde humana e do meio ambiente. À medida que o interesse pelo movimento vegano continua a crescer, ser vegano se torna mais fácil a cada dia.

Gostou deste artigo? Conheça estes 41 itens que todo vegano precisa experimentar.



por Nadia Ferreira Gonçalves em 28 de julho