O mercado global de queijos veganos foi avaliado em US$ 1,01 bilhão em 2019 e deve crescer a uma taxa composta de crescimento anual (Compound Annual Growth Rate-CAGR) de 12,8% de 2020 a 2027. É o que diz o relatório da Grand View Research, publicado recentemente.

O que impulsiona esse mercado

A crescente aceitação do veganismo entre os consumidores, especialmente entre aqueles da geração millennials, é um dos fatores que impulsionam o crescimento do mercado em todo o mundo. A crescente conscientização sobre a crueldade contra os animais e os impactos negativos sobre o meio ambiente causados ​​pela indústria de laticínios incentivam os consumidores a optar por produtos à base de plantas.

Como resultado, os fabricantes têm oferecido uma ampla gama de alternativas de laticínios vegetais, incluindo o queijo vegano, que está ganhando espaço nas prateleiras de lojas de varejo em todo o mundo.

Além daquelas preocupadas com questões éticas e ambientais, pessoas com intolerância à lactose também são consumidores-alvo do setor. De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, cerca de 65% da população humana tem dificuldade para digerir a lactose, representando uma vasta base de consumidores segmentáveis. Com a crescente conscientização sobre a saúde, os consumidores têm optado por produtos sem laticínios.

Demanda em ascensão

Fabricantes em todo o mundo estão investindo significativamente em inovação e aquisição de produtos para expandir seu portfólio de produtos e atender à crescente demanda dos consumidores. Além disso, várias grandes redes varejistas ampliaram suas prateleiras para produtos de base vegetal, considerando o crescimento do segmento.

O surgimento de consumidores flexitários, que estão reduzindo o consumo de carne e laticínios ao substituí-los por produtos à base de plantas, deve ser um dos principais impulsionadores do mercado. Além disso, a influência das mídias sociais e das organizações de direitos de bem-estar animal e aquelas que prezam pela contenção da crise climática, destacando o impacto da produção de laticínios e produtos de carne no meio ambiente, nos animais e na saúde do consumidor, é crucial para aumentar a demanda por queijo vegano.

Paralelamente, participantes estabelecidos no mercado de laticínios, como a Danone e a Nestlé, entraram na indústria de base vegetal para atender à crescente demanda.

No entanto, a baixa semelhança na textura e sabor entre os produtos lácteos à base de plantas e os laticínios tradicionais ainda atua como uma restrição chave no crescimento do mercado de queijo vegano.

Mercado global de queijos veganos

Segundo o relatório, o valor do tamanho do mercado em 2020 está estimado em US$ 1,15 bilhão e a previsão de receita para 2027 é de US$ 2,66 bilhões. Tudo isso, considerando países como EUA; Alemanha; Reino Unido; França; China; Japão e Brasil.

A Europa dominou o mercado de queijos veganos com uma participação de 40,0% em 2019. O domínio da região é sustentado pela forte popularidade dos alimentos vegetais nos países europeus. Alemanha e Reino Unido são os principais mercados da região. É provável que o alto poder aquisitivo dos consumidores influencie na compra de produtos premium, como alternativas veganas que incluindo queijos vegetais.

Para os próximos anos, a Ásia-Pacífico deve testemunhar o crescimento mais rápido, com um CAGR de 14,3% de 2020 a 2027. A mudança nos hábitos alimentares dos consumidores e o aumento da consciência sobre a saúde entre os consumidores da região têm impulsionado a demanda pelo produto. China, Japão e Austrália são os principais mercados de queijo vegano na região.

O documento aponta ainda as empresas-chave no mercado de queijos veganos, dente elas Gardener Cheese Company; Tofutti Brands, Inc.; Violife; Queijo Dr-Cow Tree Nut; DAIYA FOODS INC.; Kite Hill; Tyne Chease Limited; QUEIJOS ARTESÃOS VTOPIAN; Creamery da Miyoko; Parmela Creamery.

Leia mais sobre o mercado de queijos veganos e conheça o primeiro curso sobre o mercado de alimentação plant based do Brasil.



por Nadia Ferreira Gonçalves em 9 de outubro