Gigantes da indústria de laticínios pelo mundo todo lançam linhas de laticínios à base de plantas

A gigante Danone planeja triplicar as vendas globais de alimentos à base de plantas de € 1,7 bilhões para cerca de € 5 bilhões até 2025. A Nestlé lançou uma versão vegetal de sua popular bebida Milo, que substitui os pós de leite convencionais por proteínas de soja e fibra de milho. Na Dinamarca a Arla lançou três bebidas à base de aveia sob a nova marca, JÖRĐ, uma marca 100% focada em produtos à base de plantas. No Japão a Asahi lançou a marca Calpis com produtos à base de soja.  

Aqui no Brasil o mercado de substitutos vegetais para leite e derivados também vem crescendo. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), a demanda por alimentos vegetarianos e veganos é superior à oferta atual.  Empresários estimam ainda que o mercado vegano tenha crescido a uma taxa anual de 40%, nos últimos anos, em média.

A Ben & Jerry’s, marca marca de sorvete bastante conhecida que pertence à Unilever, já lançou 2 sabores sem nada de origem animal aqui no Brasil. 

As marcas de laticínios à base de plantas também estão recebendo investimentos de marcas tradicionais da indústria de laticínios, como por exemplo a Yofix Probiotics da Israel. Recentemente a Yofix Probiotics concluiu uma rodada de investimento de US$ 4,5 milhões, com participação de de dois gigantes da indústria de laticínios: Müller e Bel Group e a LionTree Partners LLC. 

Curtiu esse artigo sobre laticínios à base de plantas? Leia também Ouro branco: o crescimento exponencial dos leites vegetais e conheça as marcas de iogurte vegano



por Nadia Ferreira Gonçalves em 13 de março