Em meio a pandemia do coronavírus, uma boa notícia foi que o mercado de carne plant-based teve uma receita de US$ 1,769 bilhão em 2020, conforme uma pesquisa da Prescient & Strategic Intelligence

É dito na pesquisa: “A pandemia de COVID-19 levantou preocupações sobre o consumo de produtos de carne, portanto, espera-se que a adoção de proteínas de origem vegetal cresça, impulsionando assim a indústria de substitutos de carne”. Já falamos aqui no Vegan Business sobre essa questão, citando: “Com o aumento na demanda por produtos éticos, principalmente vinda de consumidores mais conscientes, o mercado vegano pode sofrer menos impacto no médio e longo prazo”. 

Além disso, o relatório também indicou que a pandemia interrompeu a cadeia de abastecimento de produtos de carne de origem animal e isso levou à redução de sua disponibilidade, influenciando no mercado de carne plant-based. Alguns exemplos dessa questão são os seguintes: 

  • O KFC Australiano, conforme notícia de setembro de 2020, enfrentou uma crise em seu abastecimento de carne, após uma instalação de processamento de carne fechar temporariamente, já que seus trabalhadores testaram positivo para o coronavírus; 
  • No Reino Unido, por conta do Brexit e da pandemia, muitos trabalhadores da União Europeia retornaram a suas casas, e a indústria estava passando por escassez de mão de obra. Em uma semana de junho de 2021, foi contabilizado uma redução de 10% de abate de animais. 

Quanto aos produtos, é dito que a soja irá manter a maior participação no mercado durante o período previsto (2021-2030), afirmando que esse produto tem a melhor capacidade de absorção dos sabores de outros alimentos e pode ser usado em diversas receitas, o que a torna a alternativa preferida. Já o seitan, carne vegetal derivada do glúten, irá ter a maior taxa de crescimento durante esse mesmo período, pois é uma opção para os veganos que tem alergia a soja e está disponível em diversos formatos. 

Sobre a região que terá maior receita em 2030, será a América do Norte, pois está ocorrendo um aumento na conscientização sobre a saúde, e o público também tem uma preferência alta por carnes produzidas a partir de ingredientes vegetais. 

Curiosidade: mercado de refeições prontas plant-based 

Algo que também relata o aumento do mercado plant-based é uma pesquisa que a Eating Better realizou neste ano, no Reino Unido. 

A empresa descobriu que a categoria de refeições plant-based prontas tem o crescimento mais rápido, tendo um aumento de 92% com relação a 2018. Além disso, 7 em 10 supermercados oferecem esse tipo de refeição com o preço mais barato do que a carne, o que a torna acessível para as pessoas comerem de forma saudável e sustentável. 

Para chegar nesse resultado, verificaram mais de 2.700 refeições prontas em dez supermercados do Reino Unido, e também perceberam que houve um aumento de 50% nas opções de refeições vegetarianas e plant-based com relação a 2018.

Gostou de saber sobre essa notícia? Aproveite e leia também: 

Estudo aponta veganismo para prevenir futuras pandemias 

Pandemia faz mais pessoas aderirem ao veganismo

*Imagem de capa: Pexels

Por Amanda Stucchi em 14 de julho
Faça parte da comunidade da Vegan Business no WhatsApp: Notícias | Investidores