O mercado de alimentos veganos está explodindo, no bom sentido, é claro!

Só nos últimos 12 meses, o interesse de pesquisa pelo termo veganismo no Google teve um aumento de 38 pontos, e se considerarmos os últimos cinco anos, esse número sobe para incríveis 70 pontos. Isso indica que o número de pessoas interessadas por este estilo de vida não para de crescer, e que, consequentemente, o mercado precisa atender a essa crescente demanda.

Logo, em um mercado de alto crescimento, não é surpreendente ver uma grande quantidade de startups veganas surgindo. Ainda mais, em se tratando de um mercado que tem tudo para oferecer benefícios potenciais à saúde e ao meio ambiente, como a redução do consumo de produtos de origem animal, principalmente a carne.

Como já muito discutido, os benefícios ambientais de comer menos carne são bem documentados, com pesquisas que mostram que as emissões de carbono podem ser reduzidas em até 60%, como consequência da mudança para fontes de alimentos exclusivamente veganas.

Ajudado pela nova geração de consumidores mais conscientes, e pela popularidade das tendências de mídia social, o mercado vegano continua a crescer exponencialmente.

Em contraste com as marcas do passado, as startups veganas da atualidade estão se engajando com as massas por meio de produtos e mensagens mais agradáveis, e se tornando populares até mesmo entre indivíduos declaradamente amantes da carne.

Tudo isso porque, esse público é ainda mais exigente que os tradicionais veganos, e prezam por uma troca justa, onde a carne saia de cena, mas o sabor e a textura da carne permaneçam. 

Os benefícios dessas startups são globais e evidentes. Ao apelarem para o mercado de massa, provavelmente mudarão para melhor a maneira como nossas dietas afetam o planeta. Ao criar um desejo crescente por opções baseadas em plantas, elas garantem que usaremos menos água, menos terra e emitiremos menos gases de efeito estufa na atmosfera, a fim de nos alimentarmos. 

A grande arrancada das startups veganas

A startup de tecnologia da Califórnia, Beyond Meat, é uma das mais conhecidas nesse cenário. Eles se especializam na tecnologia de criar ‘carnes’ que imitam a aparência, o sabor e a performance de cozimento das carnes tradicionais de animais.

Sem dúvida a empresa soube utilizar com sucesso embaixadores da marca, como as estrelas do esporte Kyrie Irving e Deandre Hopkins, para obter um status um tanto cult de mídia social.

Surpreendentemente, a Beyond Meat viu o preço de suas ações subir tão rápido como um foguete em seu IPO, em maio deste ano, passando de US $ 25 por ação para cerca de US $ 65 em um único dia. E as ações não pararam de subir desde então, em uma demonstração empolgante de confiança dos investidores. A empresa agora está avaliada em cerca de US $ 5 bilhões, o que não é nada mal para uma pequena startup vegana.

O sucesso da Beyond Meat não é único, com outras startups como Vurger, Mushlabs e Greenwise, todo o mercado vegano ganha tração e financiamento significativos.

De olho nesse proeminente mercado

Como rapper americano e um dos músicos mais ricos do mundo, Jay-Z é um sucesso, mas a música está longe de ser seu investimento mais lucrativo. Grande empreendedor, seus negócios incluem gravadoras de entretenimento, uma linha de roupas, marcas de bebidas sofisticadas e o serviço de streaming de música Tidal.

O músico fundou o Venture Capital Marcy Venture Partners em 2018, com o capitalista de risco Larry Marcus. A empresa liderou a rodada de financiamento inicial de US $ 1 milhão, que incluía The Factory Backstage Capital, SoFi Ventures e o diretor de crescimento da Beyond Meat, Chuck Muth.

E não para por aí, Leonardo Dicaprio também está de olho nesse mercado, e já investiu na Beyond e na Califa Farms, marca que possui uma linha de produtos lácteos à base de plantas, e na empresa de salgadinhos vegana HIPPEAS

O piloto vegano de Fórmula 1 Lewis Hamilton abriu recentemente seu próprio restaurante de hambúrgueres em Londres. O restaurante, chamado Neat Burger, vendeu 1.500 hambúrgueres em duas horas de serviço. O cofundador da Neat Burger, Ryan Bashti, revelou que 14 locais serão abertos em breve no Reino Unido e, eventualmente, mais de 100 serão abertos em todo o mundo.

Demanda esmagadora por comida vegana

O apetite do consumidor por alimentos à base de plantas está aumentando. À medida que os consumidores mudam cada vez mais para uma alimentação que corresponde aos seus valores ​​e desejam opções mais sustentáveis, mais espaço para as startups de tecnologia, uma vez que o sabor continua a ser o quesito mais importante na hora da escolha alimentar.

Pode parecer apenas moda, no entanto, o fato é que todo esse movimento que acontece bem diante dos nossos olhos deve se tornar um verdadeiro ponto de partida para as startups veganas decolarem. Desse modo, a indústria vegana sairá definitivamente do mercado de nicho nos próximos anos. 



por Nadia Ferreira Gonçalvez em 12 de setembro