Mais uma novidade para alegrar a todos: a NotCo expande linha de sorvetes veganos!

A NotCo é conhecida por fazer leites, maioneses e hambúrgueres vegetais incríveis no sabor e textura. O leite integral ou o achocolatado, por exemplo, assemelham-se aos produtos de origem animal e o mesmo pode-se dizer dos sorvetes! À base da proteína de ervilha, a Not Ice Cream está com três novos produtos à venda, nos sabores: Café com Cacau, Caramelo Salgado e Cocada Cremosa. Todos estes foram lançados exclusivamente no Brasil.

A foodtech chilena já estava no mercado com os sorvetes veganos de Baunilha, Cookies and Cream e Chocolate, entregando uma cremosidade e textura que ninguém desconfia de que não seja a opção tradicional. Disponível em supermercados, é um dos primeiros sorvetes veganos a serem vendidos em redes como grupo Pão de Açúcar.

O produto não contém glúten, lactose, ingredientes transgênicos ou ovos. Além da proteína de ervilha, é feito com óleo de coco, xarope de glicose, açúcar, aromas naturais, goma arábica, goma guar e goma de semente de alfarroba. Devido à tecnologia, a cremosidade, sabor e textura não deixam a desejar. O consumidor, mesmo não sendo vegano, não se decepcionará.

A NotCo reinventa a indústria alimentícia: os novos sabores do sorvete vegano foram criados pela inteligência artificial desenvolvida pela empresa e batizada de Giuseppe. Como funciona? O algoritmo cruza bases de dados, com mais de 30 mil plantas cadastradas, e encontra substitutos vegetais para os alimentos derivados de animais, analisando em nível molecular a estrutura destes alimentos.

Ciro Tourinho, Country Manager da NotCo Brasil disse à revista Exame: “O Not Ice Cream de Café com Cacau, de Caramelo Salgado e o de Cocada Cremosa foram desenvolvidos especialmente para o paladar dos brasileiros. Café, Cacau e Coco são ingredientes apreciados e conhecidos nacionalmente, porém sempre trazem leite na sua formulação original.”

Com os novos sabores vêm também novas embalagens. Os sorvetes podem ser comprados virtualmente ou em lojas físicas, principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e na região Sul do país. Em São Paulo, a marca abriu um restaurante próprio, intitulado Why Not, que oferece serviço delivery pelo iFood, com sanduíches, porções de frango vegano, milkshakes e mais.

Entrementes, a NotCo visa ampliar ainda mais. A startup já vale US$ 250 milhões e recebeu recentemente um aporte de US$ 85 milhões em uma rodada de Serie C, segundo a Exame. Criada em Santiago, por Karim Pichara, Pablo Zamora e Matias Muchnick, a foodtech cresceu bastante no mercado brasileiro nos últimos meses e é a maior fonte de renda para a empresa após o Chile “O Brasil deve ser o maior mercado para a NotCo em 2021. Os recursos vão ser alocados para que a NotCo mantenha a posição de liderança no mercado de alimentos plant based na América Latina e na expansão para o mercado norte-americano”, revelou Muchnick.

Essa expansão internacional também inclui mercados do Peru, Uruguai, México e Colômbia. Atualmente, a NotCo está apenas na Argentina, tirando Brasil e Chile. De acordo com a consultoria Meticulous Research, o mercado plant based deve crescer 11,9% ao ano até 2027.

Leia também: Lançamentos globais de sorvetes veganos dobraram nos últimos 5 anos



por Ana Reis em 5 de março