O ano de 2019 nem chegou na metade e já está cheio de alternativas veganas. Todo o crescimento do veganismo fez com que grandes marcas sentissem a necessidade de desenvolver produtos veganos. A novidade da vez é o novo sorvete vegano da Magnum.

Do início do ano para cá diversas marcas se renderam aos alimentos a base de plantas e a pressão da demanda vegana. Algumas como Burger King, Danone, e até a Nestlé já deixaram sua marca e seu desejo em aumentar o portfólio de opções veganas. A Magnum não podia ficar de fora dessa história.


“Este é o nosso primeiro lançamento em indulgência baseada em plantas e mal podemos esperar para compartilhar com os fãs de sorvetes da Magnum.”

Sorvete vegano da Magnum

A marca internacional começou a disponibilizar em vários países ao redor do mundo seus sorvetes veganos. Entre os países que já estão recebendo esse alimento que sonhamos em ver no Brasil temos: Reino Unido, Suécia, Finlândia, Portugal e EUA.

O sorvete vegano da Magnum anunciado em fevereiro de 2019, começou a ser vendida entre 4 e 5 dólares.

“Esta semana estamos entusiasmados em trazer o nosso próximo nível de chocolate para o mercado vegano e livre de produtos lácteos. Este é o nosso primeiro lançamento em indulgência baseada em plantas e mal podemos esperar para compartilhar com os fãs de sorvetes da Magnum ”, disse Leslie Miller, diretor de marketing de sorvetes da Unilever, em um comunicado em fevereiro, sobre o lançamento americano.

Serão vendidos dois sabores diferentes de sorvetes veganos: Magnum Vegan Classic e Magnum Vegan Almond.

A base dos sorvetes são feitas de base de proteína de ervilha-de-baunilha – que já se mostram um mercado de crescimento global – revestida com chocolate sem laticínios .

O revestimento de chocolate é feito com  70% de cacau proveniente de grãos de cacau Rainforest Alliance, cultivados de forma sustentável.

Outras marcas de sorvetes com opções veganas

Além do sorvete vegano da Magnum, outras marcas deram seus primeiros passos para atender a demanda vegana. Uma delas foi a Cornetto. A marca desenvolveu um sorvete de baunilha à base de soja, pedaços crocantes de avelã e o chocolate característico na parte inferior do cone. Atualmente ele vendido apenas no Reino Unido e na Austrália – para nossa tristeza.

Embora não seja vendido ainda aqui, podemos ter uma ideia do sabor do sorvete com react de alguns youtubers. O Flávio, do canal Vegetarirango, fez um vídeo provando o sorvete vegano da Cornetto, você pode conferir aqui.

“A Kibon, produzindo um Cornetto para o crescente mercado vegano, está oferecendo um sabor de futuro. Atualmente, mais do que nunca, as pessoas estão rejeitando produtos com lactose por saber que eles promovem efeitos negativos em nossa saúde e que eles obrigam os animais a passarem por um inferno. Empresas que oferecem opções veganas são reconhecidas.”  – disse Mimi Bekhechi, diretor de programas internacionais da PETA, na época do lançamento, em 2017.

Unilever e os testes em animais

Tanto o sorvete vegano da Cornetto quanto o sorvete vegano da Magnum pertencem a Unilever, e isso causa algumas discussões entre veganos.

A empresa ainda faz testes em animais em alguns dos seus produtos. Vale lembrar que aqui no Brasil, muitos veganos não consomem produtos de marcas que testam em animais. Por isso, o crescimento desses produtos no Estados Unidos tende a ser maior.

Ainda assim, não podemos desconsiderar o fato de ser uma grande empresa. Isso dá capacidade para que ela produza produtos sem nenhuma origem e com uma ótima qualidade. O que pode atrair não veganos, e contribuir para o crescimento do mercado vegano.

O mercado dos sorvetes veganos

O mercado dos sorvetes veganos mostram ótimos resultados. A expectativa é que esse mercado supere 1 bilhão de dólares até o ano de 2024, segundo uma pesquisa divulgada pela Global Market Insights em outubro de 2018.

A expectativa é que o mercado europeu de sorvetes veganos tenha uma taxa anual de crescimento composta de mais de 14%. Enquanto isso, o mercado americano deve arrecadar 400 milhões de dólares até 2024.

Especialistas prevêem que as opções veganas de grandes marcas e bases novas e únicas – como banana, abacate e leite de cânhamo – apenas vão impulsionar o mercado enquanto os consumidores abandonam os laticínios por razões relacionadas à saúde, sustentabilidade e bem-estar animal.”

Embora não ainda não tenha chegado ao Brasil, o desenvolvimento desse produto já abre grandes portas e indica ótimos resultados do veganismo. De qualquer forma, encontramos um mercado de sorvete vegano no Brasil com ótimas opções e para diversos gostos. Ou seja, tem sorvete para qualquer vegano!  

Leia também  Sorvete vegano em São Paulo – nova gelateria vegana na Augusta e Hambúrguer vegano da Impossible Foods agora estará no Burger King



por Lari Chinaglia em 5 de abril