Algumas pessoas já estão familiarizadas com o movimento “segunda sem carne”. O movimento é exatamente como o nome sugere. É uma proposta para que você tire a carne do seu cardápio pelo menos uma vez na semana.

Aqui no Brasil, a Segunda Sem Carne é uma campanha da Sociedade Vegetariana Brasileira em parceria com a Secretaria do Verde e do Meio-Ambiente da Prefeitura de São Paulo com a ideia é trazer um primeiro contato de um carnívoro com o vegetarianismo.

Como surgiu?

A segunda sem carne surgiu com a U.S. Food and Drug Administration, agência responsável pelas reservas de comida do exército americano e aliados durante a Primeira Guerra Mundial. A proposta na época era reduzir o consumo de carne das famílias americanas para auxiliar na guerra. Assim surgiu, originalmente, a “Meatless Monday”. Além disso, na época também foi lançada a “Wheatless Wednesday” ou “Quarta sem trigo”.

Já no ano de 2003, Sid Lerner reviveu a campanha nos Estados Unidos mas, dessa vez, com outro objetivo: prevenir doenças causadas pelo excesso de consumo de carne. Aos poucos essa campanha chegou até 44 países. Além disso, a campanha tem muito apoio, como, por exemplo, o Ministério da Saúde no Guia Alimentar para a População Brasileira.

O Brasil domina a segunda sem carne

A campanha foi lançada no Brasil em 2009 com o apoio da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Esta vem trabalhando para que a substituição da proteína animal pela proteína vegetal, pelo menos um dia por semana, seja implementada pelo poder público.

Em 2011, as escolas municipais de São Paulo começaram a introduzir o cardápio vegetariano. “A implementação da merenda vegetariana em uma rede de ensino ampla e complexa como a de São Paulo demonstra que esta experiência pode ser levada adiante em qualquer município brasileiro”, incentiva Alexandre Schneider, Secretário Municipal de Educação de São Paulo.

Na rede municipal cerca de 1 milhão de alunos são beneficiados, poupando 436 mil Kg de carne ao longo de um ano.

Já na rede estadual de ensino de São Paulo, essa mudança aconteceu apenas em 2017. E em 2014, o programa Bom Prato também começou a substituir a proteína animal pela proteína vegetal às segundas-feiras.

Afinal, realmente fará diferença?

O primeiro passo é entender os motivos para aderir a segunda sem carne. Para isso, separei um vídeo especial para você

Essa dúvida é comum. Sabemos que motivos para se tornar vegano não faltam, mas não virar vegano e apenas contribuir com a segunda sem carne realmente fará alguma diferença no planeta? Sim, vamos aos motivos.

Você tem ideia da quantidade de água que é gasta para a produção das carnes? Um consumidor de carne demando indiretamente mais de 3800 litros de água por dia (fonte: Bureau of International Information Programs).

Além disso, para produzir apenas 1kg de carne bovina, o Brasil emite 335g de gás carbônico (CO2). E se esse dado não te dá uma visão clara da quantidade, vamos a uma comparação. Consumir 1kg de carne ou dirigir um carro médio por cerca de 1600 quilômetros causam o mesmo efeito no meio ambiente.

A pecuária é responsável pela emissão de 14,5% dos gases causadores do efeito estufa, isso sem falarmos da responsabilidade de 80% no desmatamento no Brasil.

Não comer carne para salvar animais

Você tem ideia de quantos animais são mortos todos os anos no mundo? 70 bilhões de animais terrestres, isso sem contar com animais marinhos. Quando falamos apenas do Brasil temos o seguinte dado:

1 segundo = abate de 1 boi, 1 porco e 190 frangos

Isso mesmo, por segundo! Dessa forma, quando você escolhe não comer carne às segundas feiras já é possível reduzir muito o número de animais abatidos.

Não comer carne pela sua saúde

Tirar a carne da sua dieta te trará grandes benefícios à saúde. Estamos falando de prevenção de doenças crônicas e degenerativas como doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, obesidade, diversos tipos de câncer e diabetes.

Pesquisas estimam que mudar os hábitos alimentares da população mundial para mais dietas à base de vegetais poderia evitar até 8 milhões de mortes até 2050. Isso representa aproximadamente 10% da mortalidade global.

Não comer carne pelo bem de todos

Sabia que 60% do milho e da cevada, e 97% do farelo de soja produzido é destinado apenas para a alimentação de animais? E esses animais são, em maioria, consumidos por uma população mais rica.  

O número de pessoas que passam fome no mundo chegou a 821 milhões em 2018, de acordo com relatório divulgado por agências da ONU. Isso significa que uma a cada nove pessoas no mundo passam fome.

No Brasil, os números apontam que mais de 5,2 milhões de pessoas passaram um dia ou mais sem consumir alimentos ao longo de 2017, o que corresponde a 2,5% da população.

E as carnes não são a salvação para essa população. Elas são uma fonte de alimentos extremamente ineficiente, demandando recursos escassos como água e terras – que poderiam ser usados para alimentação humana direta.

Ah, e a indústria da carne é responsável por 70% dos casos de trabalho escravo.

Para disseminar a campanha pelo Brasil, a SVB tem contado com parcerias importantes como a do ambientalista e deputado estadual Roberto Tripoli, da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, das Secretarias da Educação e de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, entre outras. E juntos, os programas pouparam, neste ano de 2017, nada menos do que duas mil toneladas de carne.

Empresas também aderem ao movimento

A Natura foi a primeira empresa de grande porte a entender a importância da segunda sem carne. A marca passou, em novembro de 2018,  a servir nos seus restaurantes um cardápio especial às segundas-feiras, substituindo a proteína animal pela proteína vegetal. Mais de 4,5 mil colaboradores serão beneficiados e convidados a refletir sobre os impactos das suas escolhas de consumo.

O diretor de Remuneração e Benefícios, Marcos Milazzo, explica que essa mudança vai ocorrer forma gradual, retirando nesse primeiro momento as carnes bovina e suína do cardápio de segunda-feira para facilitar a adaptação dos colaboradores. “Envolvemos diversos times para embarcar nesse movimento. Além do tom convidativo para experimentar novos hábitos e sabores, queremos mobilizar nossa rede de colaboradores para a importância das escolhas individuais no cuidado com o meio ambiente”, avalia.

Tirar a carne uma vez por semana do cardápio é uma tarefa fácil, e como consequência traz diversos benefícios para nossa saúde, para a sociedade e para o planeta, sem contar com as principais vítimas: os animais. Vamos fazer a segunda sem carne?

Leia também 10 motivos para se tornar vegano hoje e O veganismo está explodindo entre os jovens




por Lari Chinaglia