Temos mais uma prova de que o veganismo está virando tendência. O governo alemão investiu US$ 780.000 em um projeto de pesquisa que tem como objetivo tornar a textura das carnes veganas mais parecida com a carne animal.

O “Texturing Mechanisms in the Wet Extrusion of Soy and Pea Protein”, ou “Mecanismos de Texturização na Extrusão Molhada de Proteína de Soja e Ervilha”, como é chamado esse projeto, será conduzido por pesquisadores da alemã TU Berlin e Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT). O principal objetivo do projeto é investigar o que dá à carne animal sua textura mastigável.

Os cientistas estão bastante determinados em desenvolver métodos inovadores de produção de carne de planta. Hoje esse processo de extrusão ocorre quando a massa de ingredientes brutos é combinada com água, aquecida e forçada através de um bico esfriado para gerar uma textura ideal para o consumo.

O engenheiro de processo do KIT, Dr. Azad Emin, e seus colegas estão estudando as interações entre pressão e temperatura, que determinam a textura de um produto. Esse processo tende a ser melhor que o atual. De acordo com a ZME Science, Emin confirmou que a equipe “desenvolveu uma abordagem e um método que permitem que o processo seja examinado e controlado com o foco em mudanças na textura”.

Os cientistas estão realizando medições precisas, usando simulações baseadas em computador e visualização detalhada da microestrutura do produto com scanners de micro-tomografia computadorizada. Esses processos permitem que os pesquisadores desenvolvam uma estrutura para descobrir como a mudança de parâmetros físicos cria efeitos texturais diferentes.

Todas essas pesquisas ganham força por conta do financiamento do governo alemão. Durante três anos, o país vai impulsionar a equipe de pesquisa para “tornar a textura e a sensação na boca ainda mais parecidas com carne, adicionando lipídios e componentes protéicos pré-texturizados”, diz Emin.

A popularidade da carne vegetal

Quando a textura da carne vegetal for melhorada, o país tem grandes esperanças de que esse tipo de produto se torne cada vez mais comum entre os onívoros. Essa popularidade, além de contribuir para o crescimento do veganismo, contribui bastante para a sustentabilidade. Segundo Emin, a carne baseada em vegetais é a alternativa mais sustentável que temos à carne de origem animal.

Com as preocupações ambientais, éticas e relacionadas à saúde, os produtos à base de plantas e novas alternativas aos produtos de origem animal estão ganhando mais atenção no mundo todo. E já estamos sentindo esses benefícios chegando.

Se engana quem pensa que apenas a Alemanha está interessada nesse mercado. No Reino Unido, está localizada a maior fábrica de carne vegana e vegetariana do mundo. E no Canadá, o lançamento da carne vegetal que é capaz de sangrar do Beyond Burger superou o clássico hambúrguer de carne bovina da A & W de Vancouver. Diversos países estão enxergando as oportunidades e as tendências que o veganismo está trazendo.

O Canadá também investe

O Canadá também demonstrou apoio ao veganismo. O país investiu US$ 153 milhões na Protein Industries Canada. A empresa é um grupo, sem fins lucrativos, de instituições de pequeno a grande porte envolvidas na fabricação de alimentos, agricultura e serviços relacionados a alimentos, pesquisa e desenvolvimento e tecnologia. O objetivo desse investimento é tornar o Canadá um líder mundial no mercado de proteínas em expansão.

“As indústrias agrícolas avançadas e produtivas do Canadá têm um excelente potencial de crescimento, dada a crescente demanda global por proteína baseada em vegetais. Nosso governo está se unindo a empresas de todos os portes, instituições acadêmicas e organizações sem fins lucrativos para estabelecer conexões produtivas e estimular a inovação que criará milhares de bons empregos neste e em outros campos relacionados ” 


Navdeep Bains, Ministro da Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico

Embora o país tenha o objetivo de alcançar o título de líder mundial no mercado de proteínas, de acordo com um relatório divulgado pela Mintel, a Alemanha está na frente. Os alemães estão dominando o mercado de carnes veganas, lançando mais produtos à base de plantas do que qualquer outro país.

De fato, 50% das empresas de carne na Alemanha também estão produzindo proteínas alternativas. Segundo a mesma pesquisa, a Alemanha é responsável por 15% de toda a comida e bebida vegana do mundo no período de Julho de 2017 a Julho de 2018.

O relatório da Mintel também mostra que tivemos um crescimento de 175% nos produtos veganos nos últimos cinco anos. Só na Alemanha, os lançamentos veganos aumentou em 240% nos últimos cinco anos.

A Alemanha está sendo uma grande aliada a causa vegana. Podemos esperar mais novidades sobre carnes veganas em breve, e claro, uma tendência no crescimento do veganismo no mundo.

Leia também 60 mil oportunidades de empregos surgiram por conta do veganismo e O mercado vegano está só começando



por Lari Chinaglia