O mercado vegano é impulsionado por uma demanda que não para de crescer.

A alimentação vegana está se tornando cada vez mais popular, com pessoas cortando produtos de origem animal por razões ambientais, éticas e principalmente de saúde. 

Já não é novidade que a agricultura animal e industrializada impacta intensamente o meio ambiente, a sustentabilidade, a saúde humana e o bem-estar animal, principalmente as emissões de gases de efeito estufa. 

No entanto, o que chama a atenção é o crescente número de pessoas interessadas numa alimentação à base de vegetais, como uma oportunidade de saúde e qualidade de vida.

Interesse por benefícios potenciais para a saúde

Com consumidores cada vez mais interessados por saúde e qualidade de vida, produtos vegetarianos e veganos, como carne à base de vegetais, são uma tendência crescente, que serve como uma alternativa aos produtos de carne derivados de animais. 

Um número expressivo de consumidores está exigindo esses produtos, seja por razões médicas ou como estilo de vida saudável. Como resultado, o mercado de produtos alimentícios vegetarianos é impulsionado de modo impressionante

Os benefícios para a saúde associados a alimentação baseada em vegetais são bastante significativos. O American Journal of Clinical Nutrition relatou que os seguidores da dieta vegana tendem a ter menor peso corporal, menor pressão arterial e menor colesterol. Descobriu-se também que os indivíduos veganos consumiam mais fibras, ácido fólico, vitamina C, vitamina E, potássio e magnésio e menos gordura saturada. 

Resultados de estudos em que a dieta à base de plantas tem sido usada como intervenções para perda de peso e os riscos cardiovasculares suportam isso. Outro estudo descobriu que aqueles que seguem dietas baseadas em plantas perderam um adicional de 6 quilos em comparação com o grupo controle, e tiveram melhorias significativas nos lipídios no sangue.

As proteínas vegetais ganharam muita atenção nos últimos anos, graças às suas associações com a naturalidade e as credenciais nutritivas

As aspirações dos consumidores por estilos de vida mais saudáveis ​​estão ajudando a impulsionar isso. E aproveitando esse boom do veganismo ao redor do planeta, empresas de todo o mundo estão buscando maneiras alternativas de oferecer alimentos veganos aos seus consumidores.

O impulso que o mercado precisa 

No mercado da alimentação vegano, o primeiro alimento que vem à tona é a carne. Deixar de lado esse produto pode se tornar um pesadelo para aqueles que optam pela alimentação vegetariana em prol da própria saúde.

Felizmente, para atender a esse público a indústria começou a oferecer opções bastante chamativas. As alternativas à carne de origem 100% vegetal satisfazem as exigências dos consumidores, muitas vezes imitando as características da carne à base de animais, em termos de sabor e textura. Os produtos de carne à base de plantas mais comumente disponíveis e populares no mercado incluem nuggets, salsichas, almôndegas e hambúrgueres. 

Simultaneamente, a carne à base de vegetais reduzir o consumo de carne animal, e atende positivamente às preocupações com a saúde, bem como, beneficia as questões ambientais associadas a à indústria de carnes.

A crescente inclinação do consumidor por estilos de vida saudáveis, juntamente com várias iniciativas tomadas por órgãos governamentais em diferentes países, deram origem a uma nova oportunidade, que permitiu o desenvolvimento de soluções amigáveis, saudáveis ​​e ecológicas para reduzir o consumo de carne. 

Os investimentos para indústrias de alimentos veganos se iniciaram discretamente, mas não param de crescer. Por exemplo, Bill Gates, fundador da Microsoft Corporation (EUA), investiu na Beyond Meat, uma das cinco principais empresas do setor global de carnes de vegetais. A Unilever (US) investiu no consórcio Plant Meat Matters; e Vegetarian Butcher (US) e Jan Zandbergen (Holanda) assinaram recentemente um acordo de distribuição com a Moving Mountains (UK), uma empresa de tecnologia de alimentos com sede no Reino Unido, que se concentra na carne à base de vegetais para a indústria. Essa tendência continua a crescer e atualmente há até mesmo fundos de aceleração para startups de carnes veganas

Gigantes da indústria de fast food como a KFC, McDonalds e Burguer King começaram a trabalhar com alternativas à carne. Consumidores, em todo o mundo, estão incrementando substancialmente as vendas desses produtos e fazendo girar lucros milionários.

No entanto, as preocupações crescentes dos consumidores em relação aos produtos que incluem matérias-primas geneticamente modificadas, como a soja transgênica, constituem um desafio. Para tanto, o marketing favorável e a adequada rotulagem de carne à base de vegetais podem ajudar a superar esse desafio.

A população vegana cresce exponencialmente e dando o impulso necessário para o mercado a acompanhar. Os fabricantes precisam se concentrar no desenvolvimento de novos produtos, que incluem carne à base de vegetais com melhor sabor, textura, aparência e composição. Varejistas devem adicionar produtos de carne à base de vegetais, como hambúrgueres, salsichas e nuggets à sua gama de produtos. 

Em suma, o interesse pela saúde, bem como a crescente inclinação dos consumidores em relação aos produtos ​​à base de vegetais e a tendência exponencial do veganismo em todo o mundo são alguns dos principais fatores que têm impulsionado o mercado de carne baseado em vegetais. 

Ainda parecer pouco, mas esse mercado tem muito a crescer.

Você tem interesse em saúde? Conheça 5 livros sobre alimentação saudável e vegana.



por Nadia Ferreira Gonçalvez em 31 de julho