Quem é vegano provavelmente sabe de cor diversas marcas que fazem testes em animais, certo? E uma das mais conhecidas nessa crueldade animal é a Avon. Mas já sabemos que veganismo está conquistando o mundo todo, e claro que chegaria (e já está chegando) nas marcas mais tradicionais do mercado. A Avon foi uma delas, e hoje já anunciou o fim dos testes em animais!

Uma grande vitória que podemos comemorar é que a gigante dos cosméticos, a Avon, está – finalmente – pedindo uma proibição global de testes em animais. A história ainda não tem um final totalmente feliz. Isso porque a Avon ainda é uma das marcas vendidas na China.

A China já tomou as primeiras medidas para o fim dos testes em animais. Esse ano, o país anunciou que não fará mais esse tipo de crueldade animal. Essa medida já é uma grande vitória para o país, e traz mais tranquilidade para marcas que agora podem ser comercializadas lá fora.

Ainda assim, a lei começa a ser efetiva no país apenas em 2020. Está quase aí, mas sabemos que os animais continuam sofrendo nesse tempo. Até o momento, a China obriga todos os cosméticos importados a passarem por testes em animais conduzidos pelo governo chinês. Assim como, o país também pede os testes para itens de ‘uso especial’. Ou seja, inclui-se na lista desodorantes e protetores solares, que são vendidos na China, também têm que ser testados em animais por lei.

Uma mudança dessas sempre gera conflitos, mas o país continua reagindo. Os responsáveis por esse avanço foram o Instituto de Ciências In Vitro (IIVS) que trabalhou em parceria com a Associação Nacional de Produtos Médicos da China (NMPA) para conseguir essa vitória!

Esse trabalho em conjunto mostrou para o governo chinês que o mundo está lutando pelo fim dos testes em animais e pela crueldade. E não há dúvidas disso. O veganismo está virando tendência, e crescendo a cada dia. Não apenas restaurantes e mercados precisam se adaptar, como também as empresas de cosméticos.

Além da China, outros países estão começando a pensar sobre o fim dos testes em animais. A União Europeia é uma das regiões que sentiu a necessidade de abolir essas práticas de crueldade do comércio de cosméticos.

Avon no fim dos testes em animais

A marca se juntou com a campanha #BeCrueltyFree da Humane Society International para proibir os testes de cosméticos em animais em todos os principais mercados globais de beleza até 2023.

Louise Scott, diretora científica da Avon, disse: “A Avon está trabalhando para acabar com testes em animais há 30 anos, mas, como indústria, ainda há muito a fazer. Estou orgulhoso de nossa contribuição para impulsionar a mudança até hoje. Mas nós “É ainda mais forte se trabalharmos com os outros. É crucial que abrimos mais parcerias com outros agentes de mudança para acabar com a prática desnecessária e inaceitável de testes em animais para cosméticos.”

O passado da Avon

Em 2012, a organização de defesa dos direitos dos animais PETA disse que a Avon “silenciosamente mudou suas políticas e estava pagando por testes em animais para vender [seus] produtos na China” – e pediu que a empresa se retirasse ou se recusasse a entrar. Mercado chinês enquanto os animais ainda estão morrendo ”.

A PETA comentou: “Embora entendamos que a China é um mercado enorme que essas empresas não estão dispostas a ignorar, esperávamos que elas tomassem medidas para eliminar essa exigência ou insistissem em que os métodos de testes que não envolvessem animais fossem aceitos”.

Quando perguntada por que a Avon não para de vender na China, a empresa respondeu: “Estamos otimistas de que a influência da Avon como líder mundial em cosméticos possa ajudar a promover a aceitação de métodos de teste não animais pelo governo chinês com o objetivo de encerrar os testes em animais”.

“Trabalhamos em parceria com organizações que estão desenvolvendo novas abordagens para avaliação de segurança de produtos que não usam animais, bem como com associações da indústria de produtos de cuidados pessoais.”

A Avon pode até ter sido uma das empresas que mais gerou crueldade em animais, porém agora ela está agindo contra isso. Nossa responsabilidade é ficar de olho e garantir que a marca continuará a lutar pelo fim dos testes em animais. Assim como as demais marcas que mostrarem interesse significativo em mudar essa realidade.

Leia também O futuro do mercado de maquiagens é vegano e natural e Mercado da sustentabilidade: 5 provas para você investir



por Lari Chinaglia em 25 de abril