Se você está pensando em fazer essa transição, antes de se perguntar como ser vegano, é importante que você já saiba exatamente qual é a definição de veganismo:

O veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade.

Definição criada pela The Vegan Society, da Inglaterra, mais antiga entidade vegana do mundo.

Se você já decidiu passar por essa transição, então você já deu o primeiro passo. Para te ajudar nesse processo, esse artigo é dividido em alguns itens que podem te servir de guia.

Dicas gerais:

Tenha em mente o motivo da sua decisão: antes de se perguntar como ser vegano, você precisa decidir mudar e conhecer os motivos para se tornar vegano. Quando estiver difícil de resistir a algum alimento ou roupa, lembrar o porquê resistir te dará forças para continuar.

Assista a documentários: eu realmente acredito que nem todo mundo precisa ver a crueldade animal de perto para tomar essa decisão, mas para muitos é importante. Nos ajuda a lembrar de como é a vida desses animais e a lutar por eles.

Esteja cercado de pessoas com os mesmos ideais: calma, não se desespere se você é o único da sua família a escolher o vegetarianismo. O que acha de seguir influenciadores veganos? Perfis de receitas e notícias veganas? Assinar nossa newsletter?

É só alimentação?

Ao decidir se tornar vegano você escolhe, na medida do possível e do praticável, abolir todas as formas de exploração animal. Assim, além da alimentação, você passa a se preocupar se os produtos que você usa são testado em animais, se possuem algum componente animal na composição.

Quando você escolhe o veganismo, você começa a ver que estamos cercados de crueldade animal. Além da carne, você pode ver a crueldade animal em:

  • Lã, couros, seda, cashmere, angorá, pelos e peles no geral são todas matérias-primas ‘retiradas’ de animais;
  • Testes farmacêuticos e testes em cosméticos, comprovados que não são mais necessários
  • Óleo de palma, o óleo vegetal mais vendido no mundo, causa a morte de 5.000 orangotangos anualmente na Indonésia por terem seu habitat devastado.
  • Entre outros exemplos.

Ficou com aquelas dúvidas clássicas? “Mas veganismo é impossível, até pneu de bicicleta tem ácido esteárico de origem animal” ou “Quer dizer que você não vai tratar uma doença porque a medicação é da empresa x que testa em animais”?

Para responder essas perguntas é importante voltar a definição de veganismo dita pela Vegan Society que comentei lá em cima. O veganismo é abolir o máximo possível de crueldade animal das nossas vidas.  

Dicas de transição para a alimentação vegana

Não existe nenhuma regra para isso, porém algumas dicas são importantes. Uma das principais é fazer a sua transição com calma, muita pesquisa, e fazer aos poucos. Claro que existem pessoas que acordam um dia e a partir de então não consomem mais nenhum produto de origem animal, mas pode não ser o caminho mais fácil.

Separei algumas dicas importantes para cada momento:

Carnívoro para vegano

Pesquise e conheça os nutriente das substituições: é cada vez mais comum encontrar pesquisas científicas apontando os benefícios da alimentação à base de plantas. Em um dos maiores estudos sobre a relação entre alimentação e doenças, The China Study, os resultados mostram que as pessoas que se alimentam estritamente de vegetais tem peso mais baixo, risco de doenças crônicas reduzido, melhor ingestão de nutrientes, menor risco de desenvolver doenças alimentares, menor exposição a contaminantes dietéticos e, muito frequentemente, melhor gerenciamento de condições crônicas de saúde. Na última atualização do Guia Alimentar do Canadá,  além de destacar a importância do consumo de vegetais e encorajar a redução do consumo de alimentos de origem animal, o guia qualifica a dieta vegana como saudável. Se você tiver dúvidas como fazer uma substituição saudável, sugiro os livros Comer para não morrer, The China Study, Saúde Nua e Crua e Alimentação sem Carne.

Acrescente alimentos novos ao cardápio: conheça alguns restaurantes veganos, prove comidas diferentes, faça algumas receitas. Assim você vai se familiarizando com novos sabores e acostumando seu paladar a alimentos diferentes.

Comece pela segunda sem carne: esse é um ótimo jeito de inserir a alimentação vegetariana na sua rotina. Você substitui durante um dia inteiro o seu consumo de carne por outros alimentos. Aos poucos, você começa a fazer terças, quartas, quintas…

Não fique apenas nos industrializados: conheça a feira perto da sua casa, descubra legumes, verduras e frutas novas, experimente novas receitas para os mesmos ingredientes que você já conhece.

Pesquise muitas receitas novas: antes de decidir que não gosta daquele alimento, certifique-se que já provou ele de todas as formas possíveis. Na internet você descobre diversas receitas novas e inusitadas. Você se perde em tantas opções maravilhosas.

Ovo-lacto vegetariano para vegano

Muitas pessoas começam a transição para o veganismo virando ovo-lacto vegetariano. O que seria isso? É quando você deixa de consumir as carnes, porém ainda mantém na sua dieta o leite animal e os ovos.

Embora essa dieta já traga muitos benefícios à saúde e aos animais, a produção de leite e de ovo é extremamente cruel, e por isso, é importante também cortamos esses alimentos da nossa vida.

Pensando nisso, separei as seguintes dicas para te ajudar nessa transição:

Substitua o leite de vaca por leites vegetais: comece a fazer as mesmas receitas que pedem leite de vaca com algum tipo de leite vegetal, peça para substituir o leite em restaurantes que oferecem essa opção (a Starbucks, por exemplo, oferece essa opção), faça leites vegetais em casa para conhecer os sabores diferentes.

Experimente queijos veganos: muitas pessoas, inclusive vegetarianas, têm preconceito com os queijos veganos, mas vale provar diversas marcas e encontrar a que você mais gosta. E por que não fazer um em casa? Quando você se adaptar a esses queijos, será mais fácil abrir mão dos “normais”.

Elimine um de cada vez: sempre tem uma opção que é mais difícil de abrir mão, não é? Então comece pela outra. Primeiro o leite, depois o ovo. Primeiro o ovo, depois o leite. Quando escolher a primeira a ser eliminada, comece aos poucos e de forma gradual. Assim será mais fácil deixar os derivados de lado, e aderir para sempre a dieta vegana.

Se tornar vegano é um grande passo, por isso é normal ter dúvidas sobre como ser vegano. O importante é pesquisar muito antes de começar, conversar com pessoas que já passaram por essa experiências (ver vídeos também ajuda), e manter-se atualizado sobre as novidades do mercado.


Leia também 3 startups veganas que estão revolucionando a maneira que comemos carne e O veganismo está explodindo entre os jovens



por Lari Chinaglia em 16 de dezembro