Uma empresa de agricultura celular está expandindo suas operações no tema de Clean Seafood. A empresa da vez é a BlueNalu, localizada em San Diego. Ela está afirmando que a sua alternativa baseada em células pode ser a grande solução para muitos dos desafios mundiais da oferta de frutos do mar.

A BlueNalu tem como objetivo criar produtos de frutos do mar veganos. Para isso, ela usará células de peixe para iniciar o processo de produção do “peixe limpo”. A empresa de agricultura celular expandiu suas operações após se mudar para uma nova instalação de pesquisa, dessa vez maior. Assim pode iniciar nova fases de comercialização dos produtos.

A Clean Seafood

A empresa busca desenvolver a clean seafood, também conhecido como alternativas sem crueldade para frutos do mar. Com isso, a empresa está se planejando para desenvolver produtos como peixes, crustáceos e moluscos, que são as principais vítimas da pescaria em excesso.

O alimento vegano da empresa BlueNalu é, segundo a marca, baseado em células e é “praticamente indistinguível dos produtos naturais”.

Segundo o presidente e CEO da empresa de San Diego, Lou Cooperhouse,  “Pretendemos reduzir a pressão da pesca, substituir a necessidade de importações, criar empregos e melhorar a segurança alimentar em cada país em que vamos ao mercado, de uma forma que seja saudável para as pessoas”. Para eles é “humanitário para a vida marinha e sustentável para o nosso planeta.”

O presidente da BlueNalu acrescentou: “Estamos entusiasmados por nos estabelecermos e desenvolvermos este importante negócio em San Diego, e estar um passo mais perto do nosso objetivo de criar uma cadeia de fornecimento de frutos do mar muito mais estável”.

Para a marca, a grande missão é “Produzir produtos de frutos do mar de verdade, diretamente das células de peixe, que sejam tão deliciosos e nutritivos quanto os produtos cultivados convencionalmente, de uma maneira saudável para as pessoas, humana para os animais e sustentável para o nosso planeta.”

Sustentabilidade no oceano

Segundo o congressista norte-americano Scott Peters, a empresa BlueNalu é a “nova oportunidade para a sustentabilidade dos oceanos, a preservação de espécies e, finalmente, a disponibilidade de frutos do mar”.

Scott Pertes vai participar da cerimônia de inauguração da nova instalação expandida da empresa no Dia Mundial da Terra. Ele também descreve “San Diego é um foco de pesquisa e inovação, então não é nenhuma surpresa que o BlueNalu esteja crescendo aqui no CA-52”.

“Nossa economia azul inclui mais de 1.400 empresas que estão desenvolvendo novas tecnologias e produtos e estou ansioso para ver o sucesso contínuo da BlueNalu.”

Ano passado, 2018, Cooperhouse começou a anunciar seu novo projeto como “Inovações disruptivas na cadeia de valor dos alimentos”. O CEO e presidente da marca declarou na época: “A missão da BlueNalu é ser a líder global em aquacultura celular, oferecendo aos consumidores produtos de frutos do mar saborosos, saudáveis, seguros e confiáveis, que apóiem ​​a sustentabilidade e diversidade de nossos oceanos.”

Em agosto de 2018, a BlueNalu fechou uma rodada bem sucedida de 4,5 milhões de dólares, com contribuições significativas da  New Crop Capital, juntamente com a Baleine & Bjorn Capital, uma empresa de investimentos co-fundada pelo fundador da Vegan Ladyboss e co-presidente da Smarties Candy, Liz Dee  e Nick Garin e outros 23 organizações de risco e indivíduos dos EUA, Reino Unido, Hong Kong, Israel e Luxemburgo.

A Cooperhouse declarou em um comunicado de imprensa: “Estamos muito gratos pelo enorme interesse na BlueNalu tanto da comunidade financeira quanto da comunidade de empreendimento , e estamos extremamente satisfeitos com o alcance global e a diversidade dos investidores em nossa rodada de sementes”.

A clean seadfood era o alimento vegano que estava faltando no mercado. Enquanto as carnes de frango veganas e as carnes de boi veganas estão ganhando espaço e alcançando até grandes fast-food “tradicionais”, ainda tínhamos um déficit quando o assunto se tratava de frutos do mar. E agora temos essa novidade!

Leia também Avanços tecnológicos na alimentação e sustentabilidade são foco em 2019  e Os Produtos Alternativos à Base de Plantas, e como eles estão mudando o mercado de alimentos no mundo



por Lari Chinaglia em 24 de abril