Consumir carne já não é parte essencial na vida de muitas pessoas e a busca por alternativas que atendam às necessidades de proteína cresceu significativamente nos últimos anos. 

Em primeiro lugar é importante compreender que alternativas à carne, são produtos à base de plantas que contêm proteínas. Os substitutos de carne são uma das melhores fontes para manter facilmente os níveis diários de nutrição e proteína. Algumas das alternativas mais comuns à carne são sementes, produtos de soja, cereais e outros. 

Estes produtos têm cor, aroma e aparência semelhantes, no entanto, esses produtos são muito mais saudáveis ​​em comparação com a carne. São ricos em aminoácidos, que é uma das principais fontes de proteína e reduzido teor de gorduras ruins.

Assim sendo, a disponibilidade de produtos substitutos de carne com sabores mais agradáveis ao paladar está agregando mais valor à demanda. Geralmente, os consumidores preferem alternativas de carne que sejam saborosas, mais saudáveis ​​e mais baratas. Portanto, as empresas estão chegando com uma nova e deliciosa versão de alternativas de carne, como hambúrgueres à base de plantas, que têm gosto, aparência e são preparados como carne, mas mais saudáveis ​​que a carne. 

O boom do mercado na América do Sul

Segundo o Relatório de Pesquisa de Mercado Substituto de Carne da América do Sul 2018-2023, que fornece uma visão geral da indústria com análise de crescimento e dados históricos e previsões de custo, receita, demanda e fornecimento, o veganismo é uma tendência na América do Sul e o mercado de alternativas à dobrará de valor até 2023.

Além disso, o mercado de alternativas à carne na América do Sul está estimado apresenta números impressionantes, e está estimado em US $ 328 milhões até 2024, crescendo a uma taxa CAGR de 12,4%.

  • O mercado de carnes veganas apresenta um crescimento notável e isso se deve principalmente à inclinação para dietas veganas e à conscientização em relação aos substitutos baseados em vegetais.
  • As intolerâncias causadas pelos produtos à base de carne e os benefícios para a saúde dos produtos à base de vegetais também estão impulsionando o mercado.
  • As áreas urbanas da América do Sul apresentam maior demanda por substitutos de carne. No entanto, a gama de produtos e marcas disponíveis ainda é menor em comparação com outras regiões do mundo.
  • A proteína texturizada de soja detém a maior parte do mercado. Inovações de produtos e lançamentos de novos produtos estão fortalecendo o mercado.

Segmentação do mercado

O mercado de alternativas à carne da América do Sul é segmentado por tipo, em proteína texturizada de soja, tofu, tempeh, seitan, quorn e outros. O mercado também é fragmentado com base na fonte em produtos à base de soja, à base de trigo e outros. Algumas das outras fontes incluem feijão preto, grãos antigos, ervilhas e cogumelos.

Enquanto as principais empresas participantes de profícuo mercado são Beyond Meat, Impossible Foods., Veggy, Superbom, Tofurky e Vegabom, para citar alguns, o relatório mostra que a disponibilidade de produtos e marcas ainda é menor quando comparada ao nível global, e isso está restringindo o mercado.

Outro dado interessante é que a crescente popularidade das cozinhas étnicas da região asiática tem impulsionado o crescimento esse mercado na América do Sul. 

Como o Brasil participa dessa tendência de mercado?

Posto que o mercado de alternativas à carne da América do Sul já é consolidado, poucas e grandes empresas detém a maior participação de mercado. No entanto, se trata de um negócio ainda em fase de crescimento, com os consumidores em processo inicial de conscientização sobre os tipos de produtos.

Logo, há espaço para a entrada de novas empresas, pois o cenário é bastante favorável.

O Brasil continua sendo um dos países mais relevantes quando se trata de alimentação vegetariana. A maioria dos vegetarianos inclui moradores dos grandes centros, de classe média ou alta, principalmente da parte central e sul do país. 

Uma vez que a maioria das alternativas à carne é baseada em receitas tradicionais, com ingredientes como o seitan, cogumelos, legumes, tempeh e tofu prensado, com aromas adicionados para torná-los mais agradáveis ao paladar, a proteína texturizada de soja continua sendo o substituto de carne mais popular na região. 

O produto é utilizado em vários produtos de carne, como hambúrgueres, salsichas, nuggets, almôndegas etc. 

O mercado de alternativas à carne é o maior influenciado pelas mudanças no estilo de vida que ocorrem na atualidade e, com certeza, lidera o mercado de alternativas vegetais à alimentação, com perspectivas de crescimento exponencial nos próximos anos.



por Nadia Ferreira Gonçalvez em 26 de julho