Alguma vez já passou pela sua cabeça que ser vegano é caro? Isso acontece com grande parte das pessoas. Assim como a frase “ser saudável é caro”, quem está dizendo essas afirmações, normalmente, vive um estilo alimentar cheio de alimentos industrializados. Comprar um macarrão instantâneo é bastante em conta, assim como comprando alguns produtos industrializados veganos você encontra preços bem elevados. Mas será que isso é sempre verdade? Separei 7 provas de que, na verdade, ser vegano é barato!

Conheça a feira perto da sua casa

“Remédio se compra na feira e não na farmácia”, essa frase foi dita pelo Flávio Giusti, dono do canal Vegetarirango, em um dos seus vídeos sobre “É caro ser vegano?” (inclusive ele já apareceu aqui no blog entre os 10 veganos brasileiros com mais inscritos no Youtube)

O veganismo traz diversos benefícios comprovados para nossa saúde, e com isso, só o fato de dizermos que o veganismo é caro, poderia ser compensado. O que é melhor para você? Se alimentar bem e ser saudável ou gastar seu dinheiro em remédios?

Além disso, as feiras costumam ser bem mais em conta do que um supermercado. Você consegue comprar quantidades maiores de alimentos por bem menos. Indo em uma feira você consegue comprar toda a sua alimentação da semana por mais ou menos R$30, e as vezes muito menos que isso. A Tayná Mota do canal Vegana Bacana já fez um vídeo onde ela mostra a alimentação dela inteirinha da feira com R$6,96 por dia.

Descascar mais e desembalar menos!

Descasque os alimentos comprados na feira e deixe os industrializados para ocasiões especiais. Vai falar que sendo carnívoro você não deixava algum alimento exclusivo para festas, finais de ano ou para aquele dia que você precisa comer alguma coisa realmente boa? Com o veganismo as coisas acontecem da mesma forma.

É importante comprar alimentos industrializados, afinal gera demanda. Só aqui no Brasil 14% da população é vegetariana. Os demais são pessoas buscando produtos de origem animal. Com a demanda baixa por produtos veganos, as empresas acabam se vendo obrigadas a elevar o valor.

Cozinhar coisas novas é um grande passo

Aprenda a cozinhar coisas novas. Quando viramos veganos é comum buscarmos opções para aqueles alimentos que estávamos acostumados antes, como leites, bifes, nuggets, queijos, e por aí vai.

Mas a verdade é que muitos desses produtos podem ser feitos em casa. Enquanto um leite vegetal de amêndoas no mercado pode custar mais de R$20 o litro, comprando as amêndoas e fazendo na sua própria casa, R$6 reais. Isso porque estamos falando de um dos leites vegetais mais caros. Se você optar por leite de aveia ou amendoim, esse valor cai demais.

E não são só os leites, na internet e principalmente no Youtube, você encontra diversas receitas de hambúrgueres, nuggets, queijos, doces, e muito mais.

Claro, que comprar alimentos industrializados pode ser mais prático para a correria do dia a dia, mas lembre-se, se seu objetivo for economizar, deixe eles para ocasiões especiais.  

Se planejar antes de sair de casa é o segredo

Sair de casa sem nenhum lanchinho na mochila e sem pesquisar o restaurante que você vai almoçar é arriscado. Você pode encontrar no caminho pratos simples porém muito caros. Por exemplo, já pensou em pagar mais de R$30 em salada? É possível em diversos restaurantes.

Por isso, pesquise bem antes e saia de casa com um planejamento feito. Vale buscar as opções veganas perto do lugar onde você vai, e claro, sempre ter um lanchinho para aquele momento de fome. Afinal, depois de algumas horas andando na rua, a fome vai bater certo?

Separe frutas, castanhas ou frutas secas, ou até snacks industrializados que você possa ter comprado em promoção e já deixe na bolsa para emergências.

E essa dica vale para todos: não esqueça da garrafinha de água também!

Não ter a carne, já é economia

Você sabe o quanto você gasta em carne por semana? Ou você lembra quanto gastava? Tem pessoas que gastam mais de R$40 por semana só em carnes.

Não podemos esquecer que ter uma alimentação saudável, mesmo comendo carnes animais, você precisa compor seu prato com legumes e verduras. Assim, ao tirar a carne de um prato “saudável” você está economizando o valor da carne.

Não é gasto dinheiro em lã, couro ou seda

Deixar de consumir produtos de lã, couro e seda são importante ao se tornar vegano. Afinal, são produtos originado de animais.

Agora falando em economia, você já parou e comparou o valor entre uma peça de couro legítimo e uma peça de couro sintético? O couro legítimo sempre será mais caro.

A lã também é um tecido bastante caro. Só para você ter ideia, a lã vucana custa em média US$ 1.800 a US$ 3.000 por metro. Um lençol desse tecido pode custar cerca de US $ 20.000!

Claro que não estou falando que você vai comprar um tecido de três mil dólares, mas ainda assim, esses tecidos de origem animal são bastante caros. Como vegano, você investirá em tecidos sem crueldade animal, e consequentemente mais baratos.

O mais importante: a vida do animal não tem preço!

Se ser vegano é barato ou se ser vegano é caro, não importa tanto quando lembramos o que está por trás dessa decisão.

Saber que você não contribui com a morte de animais inocentes, com testes em animais, com tortura e crueldade já traz um grande alívio na hora de fazer as suas compras. Nenhuma vida deveria ter preço. Nem a minha, nem a sua, nem a do cachorro dentro do pet shop, e tão pouco a vida de animais que são usado para satisfazer o ser humano (em alimentos, roupas, produtos, entretenimentos). A vida de um animal não tem preço!

Por fim, podemos concluir que ser vegano é barato. Mas nunca é só um preço. É a satisfação de ter um estilo de vida que é contra a crueldade e exploração animal. É a saúde em dia e os benefícios gigantescos. É o meio ambiente agradecendo de volta.

Leia também Moda Vegana: conheça as principais marcas do Brasil e Go Vegan: o que você conhece sobre esse movimento



por Lari Chinaglia