Já imaginou um vegano comendo um pedaço de carne? E se essa carne vier da tecnologia e não do abate de animais?

Cada vez mais podemos observar o crescimento do veganismo na sociedade. As pessoas estão se dando conta de que não comer carne reduz o risco de problemas de saúde, ajuda a alimentar a população e ajuda a cuidar do planeta.

A CBS Insight desenvolveu um relatório mostrando a mudança do mundo para um futuro sem carne. E mesmo com um grande mercado de indústrias alimentícias que contribuem com a exploração animal, a indústria de alimentos vegana tem sido fortemente influenciada por startups. Podemos ver pequenas empresas e startups desempenhando papéis de liderança para mover o mercado e contribuir com o crescimento desse estilo de vida.

Algumas dessas startups estão usando da tecnologia para desenvolver carnes em laboratórios ou fabricá-las a partir de produtos à base de plantas. Essas startups veganas, além de oferecer novos produtos, possuem um grande potencial em reverter todas as partes do processo de produção de carne.

Pensando mais a longo prazo, o valor da carne poderia cair drasticamente, já que laboratórios e fábricas de “carne limpa” poderiam tomar o lugar de fazendas, rações, e principalmente, matadouros.  

Carne à base de plantas: Impossible Foods e Beyond Meat

Carnes falsas com aparência, sabor e cheiro de carne. E se você quiser, podem até sangrar! Essas são as propostas de duas empresas: Impossible Foods e a Beyond Meat.

A Beyond Meat busca uma melhor forma de alimentar o planeta e criar o The Future of Protein®. “Mudando de carne animal para carne à base de plantas, podemos impactar de forma positiva e significativa 4 questões questões atribuídas à produção e ao consumo de animais: saúde humana, mudança climática, esgotamento de recursos naturais e bem-estar animal.” (tradução livre da missão da marca)

Essa marca chamou atenção do público com o seu hambúrguer vegetal que é capaz de “sangrar” quando cozinhado. O sangue é sumo de beterraba, mas claro, não deixa de impressionar quem está vendo e comendo.

Já a Impossible Foods tem como foco oferecer 1005 refeições vegetarianas sustentáveis. E para aqueles que não conseguem deixar o hambúrguer de lado, eles criaram a própria versão 100% vegetal, mas com sabor e textura semelhantes ao hambúrguer animal.  

Isso foi possível após sintetizar em laboratório o Heme das plantas, uma proteína que se encontra em abundância nos músculos dos animais e é ela que dá a cor, sabor, textura e aroma à carne.

Eles estão atualmente em expansão, e se associaram recentemente à Sysco, a maior distribuidora de alimentos dos EUA. Quem sabe logo eles já não venham para cá?

Essas startups veganas tendem a contribuir muito com quem está pensando em fazer uma transição ao veganismo.

Carne limpa: Memphis Meats

A produção de “carne limpa” foi possível com a empresa de tecnologia Memphis Meats. A empresa produz carne em laboratório a partir de células animais. Além disso, eles alegam que sua carne usa apenas 1% da terra e da água que a produção tradicional de carne faz.

De acordo com o relatório da CBS, os produtores desse tipo de carne estão tentando diminuir os custos da produção para tornar a carne limpa mais acessível ao público. O preço inicial foi avaliado em US $ 9.000 por libra. No entanto, já foi possível diminuir um pouco esse valor. Atualmente o valor está em US $ 3.800 a libra.

Hampton Creek, a empresa, conhecida por sua maionese e sabores eggless, diz que será a primeira a comercializar com carne limpa. o fundador e CEO da Hampton Creek, Josh Tetrick, disse que “é 10 vezes mais eficiente do que o maior volume de abate do mundo (…) tudo isso sem confinar ou abater um único animal e com uma fração das emissões de gases de efeito estufa e uso da água.”

Alternativas para leite de vaca e ovos: Follow Your Heart

A startup vegana Follow Your Heart desenvolveu alternativas livres de crueldade ao queijo, maionese e ovos. A produção dos seus produtos acontece de maneira personalizada, em um ambiente movido a energia solar. Além disso, clarabóias, pisos reciclados, iluminação e aquecimento com eficiência energética e refrigeração ecológica são prioridades voltadas para conservação máxima de recursos.

Alguns de seus produtos são: Vegenaise (uma opção mais saudável para maionese), Vegan Cheese (opções de queijos veganos), Salad Dressings (molhos de saladas), VeganEgg (opção de ovo vegano) e Gluten Free Bakery (pão livre de glúten).  

Essas startups veganas ainda são pequenas e estão apenas começando a ganhar espaço no mercado. O tamanho delas são as impede de serem poderosas e revolucionar a maneira como os alimentos são produzidos. Elas sabem bem que o futuro é vegano, e fazem questão de criar o caminho até lá.

Esse artigo foi inspirado no conteúdo “3 way vegan startup are revolutionizing the way we eat ‘meat’”.

Leia também 10 motivos para se tornar vegano hoje e O veganismo está explodindo entre os jovens




por Lari Chinaglia